O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 06 de Abril de 2015

Cada dia tem 24 horas.

Mas há um dia, em Outubro, com 25 e um dia, em Março, com 23.

E, depois, há o dia de Natal e este dia de Páscoa com 192 horas.

A Oitava da Páscoa é como um único dia que se estende ao longo de oito dias.

É por isso que o prefácio da oração eucarística menciona «este dia em que Cristo, nossa Páscoa, foi imolado.

E é por isso também que os salmos de Laudes, Vésperas e Completas são os mesmos de Domingo da Páscoa da Ressurreição.

No fundo, tudo isto pretende significar que a Páscoa acende a luz que não se apaga e inaugura o dia que não tem fim.

Mas a Igreja continua a alertar-nos para a globalidade do mistério de Cristo, morto e ressuscitado.

É que, às vezes, na Quaresma, dá a impressão de que não vai haver Ressurreição. E, por vezes, na Páscoa, dá a impressão de que não houve Morte.

Um dos  belos hinos deste tempo alerta que «não há Ressurreição sem haver Morte».

Jesus ressuscitado apresenta as marcas da paixão e da morte.

O que voltou à vida é o mesmo que deu a vida.

Mantenhamos, pois, todo o realismo e não desistamos de transformar a (nossa) vida!

publicado por Theosfera às 19:07

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro