O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 21 de Maio de 2015

Para D. Óscar Romero, a morte não foi uma surpresa.

Os que o mataram fizeram questão de o «avisar».

Ele confessou, duas semanas antes de ser assassinado, estar a receber «inúmeras ameaças de morte».

Como cristão, não acreditava «na morte sem ressurreição. Se eles me matarem, voltarei à vida no povo de El Salvador. Como pastor, devo dar a vida por aqueles a quem amo, inclusive por aqueles que me vierem a matar».

Nesse caso, esperava que o seu sangue pudesse «ser uma semente de liberdade e um sinal de esperança».

Pedia que a sua morte pudesse «servir para a libertação do meu povo e como testemunho de esperança daquilo que está para vir».

Uma vida que se dá nunca deixa de (re)nascer. Mesmo, quiçá sobretudo, quando está à beira de morrer!

publicado por Theosfera às 10:43

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro