O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 28 de Fevereiro de 2015

Há quem ache, como Inês Pedrosa, que, «quando alguém diz: "Eu defendo a liberdade, mas", a liberdade morre».

Não sei se morre. Esse «mas» pode ser um despertador para que cada um não se limite a defender a sua liberdade.

É por isso que não penso que o «mas» seja neccessariamente um «muro». Pode ser uma «ponte» para interligar a liberdade de todos.

É certo que o «mas» é adversativo. Acontece que pode abrir as portas ao «e» copulativo.

Se cada um ponderar que é livre «e» os outros também são, tudo será diferente. E, seguramente, melhor!

publicado por Theosfera às 13:13

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro