O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 18 de Junho de 2015

 

  1. Na aurora dos tempos, Deus confiou a terra ao homem (cf. Gén 1, 28).

Nos últimos tempos, porém, o homem tem sido a maior ameaça para a terra.

 

  1. Acontece que cada «vitória» do homem sobre a terra resulta numa (impiedosa) «vitória» da terra sobre o homem.

Como terá dito Fernanda Winter, «Deus perdoa sempre, o homem perdoa às vezes, a natureza não perdoa nunca».

 

  1. Quando a natureza se «revolta», quem a segura?

Nem aquele que agride a natureza consegue escapar às (contínuas) agressões da natureza. Afinal, a espécie humana também está em risco.

 

  1. Neste sentido, a prioridade tem de ser, como lembrou João Paulo II em 1991, a «ecologia humana».

Aliás, o Papa Francisco alerta, na sua mais recente encíclica, que «o ambiente humano e o ambiente natural degradam-se em conjunto». E, como é óbvio, são os mais pobres os que mais suportam as consequências.

 

  1. Eis um estranho modelo de desenvolvimento, em que os últimos a fruir dos seus benefícios são os primeiros a sofrer os seus danos.

Em vez de tratar do lixo, a sociedade consente que ainda haja pessoas tratadas como lixo. A «cultura do descartável» não optimiza recursos e persiste em marginalizar pessoas.

 

  1. Para Francisco, é essencial que a política não se submeta à economia e que a economia não se submeta à tecnocracia.

Visando o bem de todos, é decisivo que «a política e a economia, em diálogo, se coloquem ao serviço da vida».

 

  1. Precisamos de uma urgente «conversão ecológica» que nos disponha a «ouvir tanto o clamor da terra como o grito dos pobres».

Só uma «ecologia integral» favorecerá um crescimento harmonioso.

 

  1. São muitos os desequilíbrios que ainda persistem entre países e entre pessoas dentro de cada país.

Porque o mundo é uma «casa comum», a ecologia tem de sobressair como uma causa global.

 

  1. O egoísmo ecológico tem de dar lugar a uma efectiva solidariedade ecológica.

É altura de compreender que o mundo não é só para nós e não é só para hoje. Os outros merecem um mundo diferente. E o futuro suspira por um mundo melhor.

 

  1. Só que o futuro depende muito do presente.

E o futuro será «negro» se o presente não for (mais) «verde»!

publicado por Theosfera às 15:44

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro