O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Nascemos para quê, afinal?

O tempo mostra que nascemos para morrer. A fé assegura que morremos para (verdadeiramente) nascer, para nascer para a vida sem termo.

No grande (que acaba por se tornar pequeno) entretanto que nos separa da morte, que fazer? Existir, ser, trabalhar.

Agustina achava que «o homem não nasceu para trabalhar e a prova é que se cansa».

Mas a experiência atesta que, mesmo cansados, não deixamos de trabalhar.

Só deixamos de trabalhar quando nos impedem de trabalhar. E isso é pior do que todos os cansaços!

publicado por Theosfera às 09:58

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro