O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2016

Respeito toda a gente e não julgo ninguém até porque o juízo é de Deus (cf. Deut 1, 17).

Mas há coisas que, por mais que me esforce, não encaixo.

Achava eu que «morte assistida» era morte acompanhada, não morte provocada.

É preciso, sem dúvida, acompanhar quem morre, mas não provocar-lhe a morte.

Aliás, não devia haver assistência só na morte. Devia haver sempre assistência em vida.

Há muita eutanásia por antecipação. Há quem provoque a morte durante a própria vida.

A injustiça, a suspeita e a calúnia não eutanasiam precocemente tantas vidas?

É preciso aliviar o sofrimento de quem sofre. E o melhor alívio é sempre a presença.

Dizem para não metermos Deus nesta discussão.

Esse é o problema. Deus é para sempre: para a vida e para a morte.

Deus é indispensável para viver e é fundamental para sobreviver mesmo depois de morrer!

publicado por Theosfera às 09:38

De Anónimo a 10 de Fevereiro de 2016 às 11:53
Inteiramente de acordo. Não desvirtuemos o que não é passível de desvirtuação! mas as pessoas andam sem norte.

De Pois é… a 15 de Fevereiro de 2016 às 10:31
É um tema muito discutível.
Por isso vamos ser racionais e não tendenciosos.
Eu vivo numa democracia.
E por isso quando necessário, quero ser eu a ter o direito de opção.
E não outros por mim.


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro