O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 01 de Abril de 2014

1. A Primavera traz um pouco do frio do Inverno e alguma coisa do calor do Verão.

A Primavera é um tempo de nuvens e de sol, de clareiras e de brilho, de sombras e de luz.

 

2. Na Primavera, há um misto de esperança e desânimo. Nela, estamos à espera de tudo, mas não temos ainda a garantia de nada.

A Primavera é o amanhecer depois da noite, mas sem a certeza do que virá pela tarde.

 

3. A Primavera é o novo começo, o tempo da sementeira, o início da viagem. É o tempo em que se lavam as roupas encardidas e em que se exibe um ar mais refrescante.

É a altura em que se sentem alguns vendavais, mas em que sopram também algumas brisas.

 

4. A Primavera é quando já não nos fechamos totalmente em casa.

É a altura em que as portas já não estão sempre fechadas e em que as janelas se vão abrindo. É o tempo em que se aspira o aroma das flores e vai desaparecendo o cheiro a mofo.

 

5. Algumas tempestades estarão para vir. Algum frio irá continuar.

Mas o primeiro calor também se fará sentir. O sol irá apertar e poderá até queimar.

 

6. São muitos os que, como João Paulo II, vaticinam uma nova «Primavera na Igreja».

Tal Primavera não é isenta de temporais nem de eventuais lesões provocadas pelas queimaduras da vida.

 

7. Na Igreja, a santidade coexiste com o pecado.

A força anda de mãos dadas com a fraqueza.

 

8. Hoje, como sempre, a Igreja tem de ser a casa da esperança, o repouso dos que se sentem tingidos pela desesperança.

Por isso é que os pobres e os sofredores deste mundo têm de encontrar, nela, um porto de abrigo e uma retaguarda de alento.

 

9. A Igreja deve acender um sorriso no rosto, ainda que se veja dilacerada por torrentes de pranto.

Este já não é o tempo de nos arrastarmos, pesarosos, lamentando as ocorrências de uma jornada com muitas canseiras e desilusões. Este é o tempo de nos levantarmos, decididos, como em manhãs ridentes de sol.

 

10. A Igreja não é o sol. Mas é chamada a aquecer os que a vida faz arrefecer com o desamparo e a injustiça.

Eu vejo a Primavera a despontar na Casa de Deus!

publicado por Theosfera às 10:33

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro