O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 29 de Agosto de 2017
  1. A Festa de Nossa Senhora dos Remédios não foi a primeira — nem a única — a realizar-se no Monte de Santo Estêvão.

Houve uma festa antes dela e houve várias festas que coexistiram com ela.

 

  1. A primeira festa que ocorreu neste lugar foi dedicada precisamente ao Primeiro Mártir.

A 15 de Agosto de 1361, eram instituídas duas procissões por ano: a 26 de Dezembro e a 3 de Agosto, em que se comemorava a «invenção» (ou descoberta) do corpo de Santo Estêvão.

 

  1. Quando surgiu a Festa de Nossa Senhora dos Remédios, seguramente pelo século XVII, a celebração de Santo Estêvão manteve-se.

Outras duas festas foram, entretanto, acrescentadas: uma a São Joaquim e outra a Santa Ana.

 

  1. O primeiro era chamado «Pai de Nossa Senhora dos Remédios» e a segunda era tratada como «Mãe de Nossa Senhora dos Remédios».

Para a sua realização, constituíram-se duas comissões distintas: uma só de homens (com Juiz e Mordomos) para celebrar o «Senhor São Joaquim» e outra só de mulheres (com Juíza e Mordomas) para festejar a «Senhora Santa Ana».

 

  1. Refira-se que estes dois santos, actualmente celebrados no mesmo dia (26 de Julho), eram festejados em dias diferentes: Santa Ana no Domingo a seguir a 25 de Julho e São Joaquim no Domingo a seguir a 15 de Agosto.

Em finais do século XIX, foram adicionadas mais duas festas: a de São João, a 24 de Junho, e a São José, a 19 de Março.

 

  1. A festa de São João chegou a ter algum furor.

Havia alturas em que a Missa Campal, presidida pelo Bispo Diocesano, principiava às quatro horas da madrugada.

 

  1. Para que ninguém cedesse à tentação do sono, a população era acordada por uma salva de morteiros.

Participavam três bandas de música, que se integravam numa cerimónia no interior do Santuário, pelas 10 horas.

 

  1. Da parte de tarde, junto à Gruta de São João, na Carreira Central, actuava uma filarmónica e subiam pelos ares balões e foguetes.

Na véspera, havia concertos e fogo-de-artifício. A festa de São José foi sempre mais discreta.

 

  1. Em 1890, todas estas festas, mais a da Senhora dos Remédios, ficaram em 540$000 réis.

Dez anos mais tarde, em 1900, só a festa de Nossa Senhora dos Remédios importou em 700$000 réis!

publicado por Theosfera às 10:59

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro