O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 03 de Novembro de 2015
  1. O homem acha-se quase tudo diante das outras criaturas. E sente-se quase nada diante do Criador.

Diante do Criador, o homem sente-se pouco mais do que «pó e cinza»(Gén 18, 27).

 

  1. Como sabemos, «pó» é uma palavra que sinaliza aquilo em que o homem se transforma depois da morte.

Empiricamente, o homem do pó vem e para o pó vai (cf. Gén 3, 19).

 

  1. É uma sensação de desconforto perante uma situação de autêntica miséria.

Só que é próprio de Deus ter o Seu coração voltado para a nossa miséria. Deus é, portanto, estruturalmente misericordioso.

 

  1. Que seria do homem sem a misericórdia de Deus?

Sem misericórdia, não teríamos solução. Sem misericórdia, não haveria salvação («extra misericordiam, nulla salus»).

 

  1. É por isso que, de entre tanta coisa que podemos dizer sobre Deus, a melhor de todas é, sem dúvida, a misericórdia.
  2. Tomás não hesitava: «A misericórdia é o que de melhor podemos dizer acerca de Deus».

 

  1. Deus usa sempre de misericórdia. Deus prefere a misericórdia a tudo o resto (cf. (Os 6, 3; Mt 9, 13).

Como sintetiza Jon Sobrino, «o princípio-misericórdia é o princípio fundamental da actuação de Deus e de Jesus; pelo que deve ser também o princípio fundamental da actuação da Igreja».

 

  1. Em Jesus, a misericórdia é a chave da missão.

É por isso que Ele propõe o amor aos amigos e também aos inimigos. É pela misericórdia que mostramos ser filhos de Deus, que «faz com que o sol se levante sobre bons e maus»(Mt 5, 45).

 

  1. Decididamente, este é o Deus das novas oportunidades, das infinitas oportunidades.

Deus só pode ser misericórdia porque — desde sempre e para sempre — é amor (cf. 1Jo 4, 8.16), amor que dá, amor que se doa, amor que per-doa. E onde há amor, pode haver dor, mas não poderá haver vingança.

 

  1. Deus perdoa sempre. Aliás e como dizia Heinrich Heine, «é o trabalho d’Ele».

Pode parecer pouco justo que Deus perdoe aos que cometem atrocidades, aos que andam envolvidos na corrupção, na intriga e na calúnia.

 

  1. Parece pouco justo. Mas, em Deus, a justiça nunca exclui a misericórdia.

Em Deus, a justiça é sempre misericordiosa. E a misericórdia é sempre justa!

publicado por Theosfera às 11:02

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro