O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 12 de Outubro de 2014

A pessoa religiosa é apresentada, muitas vezes, como sendo uma pessoa retraída, sorumbática, ensimesmada.

É um perfil difundido, mas é igualmente um paradigma questionável.

Parte do princípio de que Deus é um juiz implacável. Daí que os Seus seguidores se mostrem apreensivos.

É pena que esqueçamos que, como notou Félix Uribe, Deus também é humor.

Aliás, Alçada Baptista discorreu sobre o «riso de Deus». E há um provérbio judaico que assinala o contraste: «O homem pensa, Deus ri».

Milan Kundera, comentando este adágio, achava que Deus Se ri do que o homem pensa. «Porque é que Deus ri ao olhar o homem que pensa? Porque o homem pensa e a verdade escapa-lhe. Porque quanto mais os homens pensam, mais o pensamento de um se distancia do pensamento do outro. E, finalmente, porque o homem nunca é aquilo que pensa ser».

Mas eu atrever-me-ia a dizer que, acima de tudo, Deus sorri. D'Ele nos vem sempre um sorriso de bondade, um sorriso de acolhimento, um sorriso de perdão.

Que me desculpe Kundera, mas Deus não Se ri de nós; Deus sorri para cada um de nós!

publicado por Theosfera às 08:12

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro