O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2015

A discórdia pode não ser o fim.

Da discórdia pode (re)nascer a concórdia.

Heráclito, que percebeu como os extremos se tocam, notava que «da discórdia surge a mais bela harmonia».

Muitos séculos mais tarde, Miguel de Unamuno compreendeu que «nada nos une tanto como as nossas discordâncias».

Às vezes, duas visões discordes acabam por, no fundo, ser bem concordes.

O problema é que poucos são os que querem ir ao fundo.

Na nossa profundidade, procuramos todos o mesmo. Ou não?

publicado por Theosfera às 09:46

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro