O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 15 de Junho de 2014

Não sou, obviamente, fatalista nem sequer determinista.

Acredito na força da vontade e na energia da liberdade.

Mas há limites que o discernimento devia perceber e que a lucidez deveria saber antecipar.

Já Almeida Garrett prevenia que «o que tem de ser tem muita força».

Não podemos presumir que as coisas são sempre como queremos. Elas são como são, ponto.

É certo que enxergamos as coisas com os nossos olhos. Não temos outros. Mas seria bom que tentássemos olhar as coisas com os óculos da realidade.

Quando pretendemos travar a mudança, é a mudança que nos trava a nós. A mudança não se deixa travar.

Vallespin alertou: «A mudança foi reprimida durante tanto tempo que agora está a rebentar-nos na cara, ignorando os mecanismos de travagem»!

publicado por Theosfera às 08:34

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro