O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 22 de Julho de 2014

Em princípio (sublinho em princípio, porque, à chegada, não sei), a avaliação dos professores não me soa totalmente descabida.

Afinal, quem não é avaliado?

O problema é que há uma diferença infinita entre o que deve ser a avaliação e o que é esta avaliação.

Os professores devem ser avaliados como professores. Não devem ser reconduzidos à sua (antiga) condição de alunos. Aliás, é para isso que existem as universidades.

Estas já não cumpriram o seu papel? Já não os avaliaram?

Já não lhes outorgaram «licença» para exercerem uma actividade?

publicado por Theosfera às 22:17

De Evágrio Pôntico a 24 de Julho de 2014 às 13:26
Deixando de lado o questionar do porquê de os professores terem de ser sujeitos a uma prova, depois de terem feito tantas ao longo dos seus cursos, a "prova", a que foram agora obrigados a sujeitar-se, revela-se mais como um teste de inteligência do que como avaliação das suas qualidades lectivas.

O Sr. ministro, antes da saída dos resultados, já anunciou, numa manifestação clara dos intuitos do governo, que os resultados globais são negativos.
Vi a dita "prova" nos jornais e aquilo parece-me extremamente confuso e desajustado.

Está à vista que o que pretendem o ministro e o governo é "despachar" muitos professores, acusando-os injustamente de ineptos... !

Esta gente do governo precisa mesmo de ser totalmente reformada !
Não sabem gerir nada, e querem resolver as coisas despedindo toda a gente ! Na verdade, quem precisa de ser despedido são eles, governantes incultos e ignorantes, e absolutamente incapazes !

Seria interessante que o Sr. ministro fosse sujeito à mesma prova para ver o resultado que obtinha...

De Maria da Paz a 26 de Julho de 2014 às 01:37
Ex.mo Senhor:
Tem V. Ex.ª toda a razão. Eu diria mais: os Professores estão a viver a sua profissão com os horrores de um campo de concentração. E isto em Portugal, hoje, nos nossos dias. Sem vantagem para os alunos: transitam de ano, mesmo sem nada saberem: hoje, praticamente não há reprovações. Há "recuperações", há "relatórios", tudo para fazer os alunos transitarem de ano. O Saber... esse perdeu-se, minimizou-se, desapareceu. Estou a ser exagerada? Garanto (porque sei) que um aluno do 12º ano não sabe escrever nem endereçar uma carta. Parece mentira, mas é verdade. E todos sabemos que até pessoas com diplomas dão erros: de ortografia e de sintaxe. O "Sistema Educativo Português" é uma máquina de embrutecer crianças e jovens. Assim convém a alguns...

De Evágrio Pôntico a 26 de Julho de 2014 às 11:38
Exma. Senhora D. Maria da Paz, se o seu comentário me é dirigido, fico feliz de ver que partilha do meu desabafo, que tem, aliás, na sua génese, mais um pertinente texto do Sr. Padre João.

Também concordo consigo no que tange à ausência de conhecimentos dos alunos de hoje e às "retenções". Os professores, ao que me é dado conhecer, são obrigados a pactuar com estas imbecilidades que dimanam das hierarquias e da "intelligentsia" que domina o Ensino no nosso País.
Tratam os alunos como se fossem atrasados mentais...

Sei que tal se deve à implementação das ideias de "grandes" e endeusados investigadores estrangeiros no campo do ensino... Teorias, teorias, que, tarde ou cedo, serão contestadas e abandonadas... mas que, entretanto, servirão para desmantelar o edifício do Ensino e da Educação no nosso País... !

A política destes governos (?!) das últimas décadas, fundamentalmente constituídos por gente ignorante e imberbe, mas inquinada pelas ideias de Antonio Gramsci e outros marxistas nefandos, e ultrapassados na História, é clara: o seu objectivo é o de nos condicionarem e transformarem em gente amorfa e sem espírito crítico, para facilmente nos dominarem. E começam cedo, nos bancos da escola, usando de refinados meios para nos transformarem a todos em verdadeiros atrasados mentais.... Veremos até quando ….?!

Saúdo a reaparição da Sra. D. Maria da Paz neste blogue. Já tinha saudades do seu comentário pertinente e judicioso. Permita-me que a saúde com admiração e respeito e lhe deseje boa saúde e Paz.

De Maria da Paz a 26 de Julho de 2014 às 20:14
Ex.mo Senhor Evágrio Pôntico:
O meu comentário foi exactamente para fazer eco das palavras de V. Ex.ª com as quais concordo inteiramente. Sim, as ideias de «António Gramsci e de outros marxistas nefandos» têm germinado e florescido em Portugal com os resultados que todos vemos e sentimos. Também é essa a minha opinião. Deus nos acuda, que eu tenho muito medo do futuro nas mãos desta gente. Tudo foi destruído: tínhamos um sistema educativo cheio de Saber e cheio de Valores: tudo foi desmantelado. Com quase 40 anos de ensino, sei bem do que falo: impotente e profundamente amargurada, assisti à derrocada. Com pesadíssimas consequências para os adolescentes de Portugal. Hoje, não há referências para os jovens, não há valores e há uma "cultura" de imbecilização . É a nova matança dos inocentes. E esta expressão não é uma metáfora: o que hei-de chamar à destruição da alma de cada criança, de cada adolescente, de cada jovem? Tenho o coração apunhalado com todos os crimes (pois de crimes se trata) que têm sido cometidos contra os mais jovens.
Muito bem-haja, Ex.mo Senhor, pelas palavras calorosas e delicadas que fez o favor de me dirigir. Realmente tenho aparecido menos; e, contudo, continuo a apreciar sumamente tudo o que o Rev.mo Senhor Padre Doutor João escreve. Tenho o gosto de ter conhecido este Distinto Sacerdote quando ele era ainda criança. Era um Menino lindo, hoje é um Sacerdote Santo e Sábio. (Eu era então uma jovem com vinte e tal anos).
A V. Ex.ª, os meus cumprimentos, retribuindo os votos deboa saúde e de Paz. Muito bem-haja!


mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro