O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 02 de Dezembro de 2009

Para nascer, Portugal. Para morrer, o mundo.

 

Esta (magnífica) frase do Padre António Vieira vai sendo, pelo menos parcialmente, desmentida.

 

É que, até para nascer, já escolhemos a Espanha. Em cada dia que passa, há um bebé português que vai nascer ao país vizinho.

publicado por Theosfera às 11:33

De Evágrio Pôntico a 2 de Dezembro de 2009 às 21:41
Podemos agradecer aos nossos "brilhantes" políticos, e, em particular, ao seu chefe, esta pouca-vergonha que se passa na área da Saúde.
Noutras áreas sociais é o mesmo... Incompetência a par da mediocridade...
E os homens válidos e capazes de reerguer Portugal há muitos, andam por aí. Mas como não pertencem aos lóbis partidários, nem às lojas maçónicas, são impedidos de dar o seu contributo ao País.
Triste País, dominado por gente sem princípios e sem moral!

De António a 2 de Dezembro de 2009 às 23:23
Portugal é um país estranho.Até um homem notável como o Padre António Vieira foi perseguido pela Inquisição e não consta que pertencesse a uma Instituição suspeita...

De Maria da Paz a 3 de Dezembro de 2009 às 13:49
«Nascemos menos e não nascemos cá» - este título do insigne Autor deste "blog" resume a extensão da nossa desgraça.
Se todos temos um especial apego à nossa terra, o que sentirá (no futuro) um cidadão português que, afinal, nasceu em Espanha?
De facto, neste nosso tempo, «Portugal é um país estranho» - como já disse um ilustre comentarista de Theosfera ".
Este é, penso, também um dos atentados aos "Direitos Humanos". Entre nós, em Portugal. Este é um atentado à soberania de Portugal.
Nós, os mais velhos, nascemos num tempo em que havia dignidade.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

«Nascemos menos e não nascemos cá» - este título do insigne Autor deste "blog" resume a extensão da nossa desgraça. <BR>Se todos temos um especial apego à nossa terra, o que sentirá (no futuro) um cidadão português que, afinal, nasceu em Espanha? <BR>De facto, neste nosso tempo, «Portugal é um país estranho» - como já disse um ilustre comentarista de Theosfera ". <BR>Este é, penso, também um dos atentados aos "Direitos Humanos". Entre nós, em Portugal. Este é um atentado à soberania de Portugal. <BR>Nós, os mais velhos, nascemos num tempo em que havia dignidade. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Nascemos</A> menos...» - outra tragédia! Até os animais precisam de condições para se reproduzirem, sob pena de entrarem em processo de extinção. <BR>Que protecção se dá à Família? Que ajuda têm as Mães, para criarem os seus filhos? Quase nada que é o mesmo que nada. <BR>Muitos jovens vivem no desejo de terem filhos, mas as condições adversas, sem auxílios necessários e eficazes, tudo dificultam. <BR>Não há protecção à Família, não há formação humana e cívica para as crianças e jovens. Com as nefastas consequências que testemunhamos, e as que estão para vir - pesadíssima "factura" destes anos de inconsciência e de falta de valores. <BR><BR>Mas o Governo está muito ocupado com a "prioridade" do ""lobby" dos homossexuais relativamente ao "casamento" (entre comas) dos "gays". <BR><BR>Como podemos viver, quando tudo está invertido? <BR>O que fizeram de Portugal! <BR>Maria da Paz <BR>


mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro