O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 07 de Agosto de 2011

Hoje, valoriza-se muito a pressa, a rapidez, a celeridade.

 

Nem a própria actividade intelectual escapa a esta vertigem.

 

Ainda ontem, via um jornalista verter o seu espanto pelo facto de o seu interlocutor ter demorado seis anos a publicar um livro.

 

O que não diríamos a respeito de Immanuel Kant, que levou doze anos a elaborar a Crítica da Razão Pura.

 

Regra geral, admiramos o aluno precoce. Consideramos um sobredotado aquele que tem uma resposta na ponta da língua. E excelsamos o prodígio de quem apreende em pouco tempo.

 

Sem pôr em causa os méritos destes procedimentos, é preciso ter em conta que pode não haver deméritos em ritmos mais pausados.

 

A lentidão, que tanto nos exaspera, pode ser decisiva para a aprendizagem.

 

Conta-se que a família de Albert Einstein estava preocupada com a sua lentidão no percurso intelectual. Mas há quem diga que, se não fosse tão lento, não teria chegado tão longe.

 

Os pais chegaram a contratar um preceptor para o ajudar. O mesmo, aliás, é dito acerca de Tomás de Aquino. Nas aulas, estava sempre mudo. Os colegas suspeitavam que não acompanhasse a leccionação. Um deles ofereceu-se para o apoiar. Com espanto, verificou que estava tudo armazenado.

 

O sistema educativo não ser visto como a formatação estereotipada das pessoas. Fundamental é descobrir o dom, respeitar a cadência e estimular as capacidades.

 

Nos moldes que, hoje, predominam, Einstein e Tomás teriam alguma dificuldade em obter boas classificações.

 

E, no entanto, foi graças à sua lentidão e introspecção que chegaram aonde chegaram: aos patamares mais elevados do saber!

publicado por Theosfera às 19:47

De Evágrio Pôntico a 7 de Agosto de 2011 às 16:48
Concordo em absoluto com o que diz, Senhor Padre João.

De facto, o nosso Ensino oficial ainda está muito atrasado... Valoriza os espertinhos, os "desenrascados", os que obtêm, aparentemente, resultados rápidos...

O sistema não dá valor aos sensatos, aos prudentes, aos que pensam, aos que se interrogam... Minimiza (quando não ridiculariza...!) os que agem com espírito de sã consciência e procuram a verdade...

Quanto sofre esta gente boa e honesta, nesta sociedade de aparências e de vaidades! E de safadezas...
Que se poderá fazer para inverter isto...?! Mas nós não somos deste mundo...

Paz e Bem.

De Theosfera a 7 de Agosto de 2011 às 19:13
Obrigado, bom Amigo. O problema é que, para ser diferente, fica-se afectado no êxito (como aluno) e na carreira (como docente). A mediocridade é cruel e o nosso sistema é superlativamente medíocre. Não conheço a via, mas algo tem de ser feito. Que ao menos olhemos para os sábios. E que deixemos as pessoas serem livres, ou seja, pessos. Abraço amigo no Senhor Jesus.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

16
17
18
19
20

21



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro