O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 30 de Julho de 2011

O colectivo é um ambiente, uma oportunidade. Muitas vezes, surge como um problema. O que nunca pode ser é um freio.

 

O colectivo não pode ser visto como uma adição de membros. O colectivo não pode dispensar cada um dos seus elementos.

 

Ser pessoa significa estar aberto, mas a vontade colectiva nunca pode ser imposta.

 

O não-humano encontra-se não apenas em indivíduos que não se socializam (o caso de Anders Breivik é o mais recente), mas também em colectivos que não integram. Aqui, os exemplos são múltiplos.

 

Criticamos, por hábito, aqueles que, supostamente, não se abrem. Mas não cuidamos de questionar os colectivos que não integram. E que, pior, estigmatizam, marginalizam e perseguem.

 

Por um imperativo de sobrevivência, a alternativa é, muitas vezes, a solidão, o desterro. Ainda assim, acoimamos de trogloditas quem apenas deseja não deixar de ser quem é.

 

Ernst Junger deu conta de um paradoxo. A solidão é «uma característica particularmente notável em épocas nas quais o culto da sociedade floresce». E que «o colectivo apareça como o não-humano, essa é uma das experiências a que poucos são poupados».

 

Nem sempre a solidão é uma fuga ou uma oposição. Muitas vezes, é apenas a recusa da opressão. A cultura dominante não costuma tolerar alternativas. Quando não persegue, pressiona.

 

Ser vencido não significa submeter-se eternamente à vontade do vencedor.

 

A solidão pode ser, pois, um grito pela liberdade. É que, volto a Junger, «uma história autêntica só pode ser feita por homens livres», por pessoas que não se resignam.  

 

A solidão pode configurar uma recusa decidida da desumanidade que, muitas vezes, o colectivo impõe.

publicado por Theosfera às 11:39

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro