O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 25 de Julho de 2011

O turbilhão de acontecimentos e a crescente insensibilidade pela cultura substantiva fazem com que determinadas ocorrências nos passem ao lado, quedando-se por ligeiras notas de rodapé.

 

Ontem, faleceu Maria Lúcia Lepecki. Tinha apenas 71 anos e uma obra importante em vastos domínios da literatura.

 

Nascida no Brasil, era especialista em autores que os portugueses vão remetendo para as bafientas arcas do olvido. Camilo Castelo Branco era um desses autores, sobre o qual, aliás, versou a sua tese de doutoramento.

 

Pessoa de raciocínio elaborado, impressionava pela extrema simplicidade do seu argumento contra o Acordo Ortográfico: «Eu sempre achei que o acordo ortográfico não é preciso: um brasileiro lê perfeitamente a ortografia portuguesa e um português lê perfeitamente a ortografia brasileira».

 

Brasileira por nascimento e portuguesa pelo casamento, Maria Lúcia Lepecki merece ser escutada e devidamente atendida.

 

O seu pensamento é de uma linearidade desarmante. O Acordo não é, obviamente, ilegítimo. Simplesmente não é necessário.

 

Numa altura em que tantos recursos estão a ser desafectados de áreas essenciais, eis uma despesa que pode ser evitada. A reflexão deve prosseguir.

 

A posição de Maria Lúcia Lepecki é singularmente pertinente. Trata-se de alguém que, além de competente, está ligada aos dois pólos excruciantes da nossa língua: Brasil e Portugal.

 

 
 

publicado por Theosfera às 14:12

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro