O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 10 de Junho de 2011

Perder oportunidades é desolador. Mas perder pessoas é um desperdício sem remissão.

 

Ao ouvir António Barreto, o pensamento inquieta-se. Como é possível que o país não aproveite melhor uma pessoa desta envergadura?

 

Num tom pausado, o saber escorre e as verdades soltam-se. Não há palavras de circunstância. Tudo ressuma profundidade e pertinência.

 

A mensagem flui, escorreita.

 

É preciso que as pessoas se entendam. É fundamental ouvir os que se manifestam e escutar os que se abstêm.

 

Há ânsias reveladas e sonhos escondidos.

 

É necessário redescobrir a grandeza do nosso desígnio.

 

António Barreto é uma voz que não podemos sufocar.

 

Dizer que é um senador é dizer pouco. Ele vai muito à frente dos que se julgam estar na frente.

 

Não são assim tantos os sábios. Não desperdicemos os que restam.

publicado por Theosfera às 13:04

De António a 10 de Junho de 2011 às 14:54
Admiro imenso António Barreto, como admiro todos os homens e mulheres, lúcidos, inteligentes e honestos de todos os quadrantes políticos.

Mas não tenho o menor apreço, por exemplo, por José Pacheco Pereira.

Ontem, num programa televisivo, disse com a maior desfaçatez que a reforma da administração pública terá que passar por um significativo despedimento de funcionários públicos.

Vindo de alguém que, durante vários anos, esteve também a comer à mesa do orçamento, enquanto deputado, faz-me sorrir de ironia.

Como ele também exerce funções docentes num instituto público, gostaria de ver como falaria se, para usar uma expressão popular, fosse posto no olho da rua, com uma mão atrás e outra à frente.

Mas não é só ele a discursar dessa forma desumana e insensível, há outros neo-liberais da sua igualha.

Curiosamente alguns economistas ex marxistas-leninistas , agora putativos candidatos a génios do capitalismo selvagem,e que também vivem a expensas do orçamento público...

De Theosfera a 10 de Junho de 2011 às 16:06
Muito obrigado, bom Amigo, pelos seus comentários, sempre deveras pertinentes. Muita paz no Senhor. Abraço amigo.

De Maria da Paz a 10 de Junho de 2011 às 23:44
Rev.mo Senhor Doutor:
De facto, em António Barreto impressiona o pensamento clarividente e a pertinência do que diz. Com a força da convicção de Pessoa de Bem!
Um Sábio e um Embaixador da verdadeira Liberdade.
Precisávamos de muitos assim!
Afectuosamente,
Maria da Paz

De Theosfera a 11 de Junho de 2011 às 06:10
Ex.ma Senhora Dra.. muito obrigado pela visita. Muita paz no Senhor. Abraço amigo.

De Marta M a 11 de Junho de 2011 às 15:34
O país necessita a voz autorizada de António Barreto, tem razão.
Ele, no seu tom manso va idizendo o que precisamos de ouvir.
assim o país o escutasse.
Para diagnósticos já temos muito que falam e poucos que dizem.
Há que ir às soluções,ao concreto, tal como ele referiu.
Obrigada por sublinhar
Marta M

De Theosfera a 11 de Junho de 2011 às 16:12
Muito obrigado pela visita. Tudo de bom. Felicidades.

De Licurgo a 12 de Junho de 2011 às 01:47
Não se devem endeusar homens.
As pessoas que aqui elogiam António Barreto conhecem bem todo o seu percurso como político? E como homem? É bom estar comodamente de fora - como A. Barreto tem estado de há muito - e lançar palpites.


mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9

18




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro