O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

A cada seis segundos, morre uma criança no mundo por falta de alimentos.

 

Neste momento, são mil milhões os que passam fome.

 

O número não cessa de aumentar.

 

Como é que dormimos descansados?

publicado por Theosfera às 11:26

De Maria da Paz a 16 de Novembro de 2009 às 12:47
É precisa uma nova ordem social. Não o Comunismo, mas uma maior partilha e a assunção de responsabilidades por parte dos Governos e por parte de muitas pessoas. A verdade é que há pessoas adultas e com responsabilidades familiares que "se encostam" e não querem trabalho. Aqui, em Portugal, em Lamego...
Mas há os "tubarões" que devoram a parte que cabe aos outros. Basta ler os jornais, abrir os telejornais...

«Como é que dormimos descansados?» - tem V. Rev.ª muita razão!
Afectuosamente,
Maria da Paz

De António a 16 de Novembro de 2009 às 13:05
Perante situações como esta, eu não tenho resposta quando um irmão ateu me questiona: " Se o Deus interventor existe, porque permite Ele que crianças morram à fome ?"...

De Anónimo a 17 de Novembro de 2009 às 00:10
Caro António, a culpa não é de Deus, mas do homem, criado por Deus para ser livre e responsável. Deus não nos criou para sermos umas marionetas nas suas mãos.


mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro