O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 31 de Maio de 2011

Quando há um crime, imediatamente lamentamos a ocorrência e depressa fazemos um juízo e apontamos um culpado.

 

Sucede que, nestas alturas, esquecemo-nos de uma coisa.

 

A culpa não pode ser ignorada, mas a responsabilidade também não pode ser negligenciada.

 

E, regra geral, a responsabilidade é mais extensa que a culpa, abrange um número maior de pessoas e circunstâncias.

 

Fiódor Dostoiévsky, que perscrutou como poucos a profundidade da alma humana, previne: «Lembra-te de que não podes ser juiz de ninguém». É que, «se eu próprio fosse justo, talvez não houvesse um criminoso diante de mim».

 

Tal como o crime se repercute em mais crime, também a justiça se reproduz em mais justiça: «O justo morre, mas a luz dele sobrevive. Alguém se salva sempre depois da morte do salvador».

 

Enquanto persistir um criminoso, há motivos para temer o prosseguimento do mal. Mas enquanto sobreviver o último justo, não desaparecerá a esperança de que o bem, afinal, pode vencer.

 

Antes de julgar, julguemo-nos. Cabe-nos uma significativa quota parte de responsabilidade quer no mal que se difunde, quer no bem que se semeia.

publicado por Theosfera às 14:14

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro