O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 20 de Abril de 2011

Um trabalhador português trabalha, em média, mais que qualquer outro trabalhador europeu e ganha, em média, metade do que este ganha.

 

Já um gestor público português chega a ganhar, em média, 30%, 40% ou até 50% mais que um gestor público americano, finlandês ou espanhol.

 

Os decisores internacionais, que vão tomar medidas para nós cumprirmos, deviam fazer o que os decisores nacionais não têm feito: cortar em quem ganha mais e aumentar a quem ganha menos. Não se vê outro modo de encurtar distâncias e anular assimetrias.

 

Mas o que se anuncia difere só em grau (não em substância) do que tem sido realizado: cortes para todos. Sendo assim (e se for assim), quem mais sofre é quem já mais tem sofrido.

 

Não admira que as pessoas tendam a desfrutar dos feriados e que até queiram acrescentar ainda mais tolerâncias de ponto. O impacto do real é demasiado doloroso. Este descanso não será tanto para repor energias, mas para esquecer (por instantes) a ditadura do real.

 

É por isso que temos dificuldade em ouvir quem nos alerta. E quando ficámos estupefactos com aquela senhora que defendeu a suspensão da democracia por seis meses, mal imaginávamos que ela estava a pecar por defeito.

 

É claro que um bastonário da Ordem dos Advogados não deve fazer exortações à abstenção. Só que, ganhe quem ganhar as eleições, o nosso futuro já está decidido. E não será decidido por nós.

 

Um dos partidos até já disse que o seu programa era o do FMI. Se isto não é uma capitulação...

 

A democracia ficará suspensa não por seis meses, mas por alguns anos.

 

Apesar de o resultado estar decidido, é importante participar.

 

A democracia pode não funcionar. Mas é fundamental que a não deixemos extinguir.

 

A voz do povo pode não contar. Mas é bom que, mesmo assim, ela se faça ouvir.

 

A democracia pode desistir de nós. Mas nós não podemos desistir da democracia. 

publicado por Theosfera às 16:22

De Gisela a 7 de Junho de 2011 às 12:44
Caros amigos,
Creio que é importante esta iniciativa, de um movimento social pela democracia, no qual estamos todos envolvidos, direta ou indiretamente.
Gostaria de indicar o documentário http://www.stop.org.br/site/catalogo/arquivos.php?idarquivo=365 para conhecer o que o cientista psico-social Norberto Keppe fala sobre a neurose do ser humano manifesta no poder através do sistema economico, nomeadamente dos bancos. E como seria possivel "sanar" a situação, psiquica e social.
Gisela


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro