O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 27 de Março de 2011

Pensávamos nós que a Oposição chumbara o PEC porque ia longe demais na dureza.

 

Acontece que o líder do PSD vem dizer que a reprovação se deve ao facto de tal PEC não ir suficientemente longe na austeridade.

 

O discurso político está a ser muito oscilante, com rotações constantes, guinadas imprevisíveis e uma geometria excessivamente variável.

 

Esperam-nos tempos difíceis, sem dúvida.

 

Urge reflectir bastante. E inflectir depressa.

 

A realidade muda. E o discurso parece mudar também.

publicado por Theosfera às 06:02

De 1143 a 27 de Março de 2011 às 14:20
no seguimento do titulo do blog , se te pedem mais sacrifícios , paga e sorri , estás a ser depenado .

De António a 27 de Março de 2011 às 14:38
Passos Coelho, o " grande defensor" do não aumento de impostos:

"Passos Coelho indisponível para aumento de impostos

Em entrevista à RTP, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, manifestou-se indisponível para viabilizar um Orçamento de Estado que inclua o aumento de impostos.

O presidente do PSD recusou hoje viabilizar o Orçamento do Estado para 2011 se a proposta do Governo incluir aumento de impostos, mas manifestou-se disponível para equacionar uma redistribuição das deduções fiscais.

"A margem para negociação é esta: nós não aceitamos que o Governo vá buscar mais dinheiro ao bolso dos portugueses. Esta é a margem de negociação", disse Pedro Passos Coelho, em entrevista à RTP.

"Se o Governo está preocupado com a justiça social e quiser, entre classes de rendimento, sem impacto na receita fiscal, transferir de uns para outros, porque acha que é mais justo que quem tenha menos rendimentos possa deduzir mais, que quem tenha mais rendimentos, nestes anos de crise, deduza menos, nós estamos disponíveis para isso", acrescentou.


Mais à frente, reiterou que o PSD só viabilizará um Orçamento para 2011 "que não traga mais impostos, porque os impostos já subiram, e que traga redução audaciosa da despesa".

"Se estas duas condições que são minimalistas não forem cumpridas, então é preferível que o Governo apresente um novo Orçamento", acrescentou.

"Aumentar a receita além daquilo que nós já decidimos que íamos aumentar nos impostos, não, porque esses já estão muito elevados", reforçou, depois.


http://aeiou.expresso.pt/passos-coelho-indisponivel-para-aumento-de-impostos=f604180

De Maria da Paz a 27 de Março de 2011 às 14:51


Verdades!
Clique em:
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<BR><BR>Verdades! <BR>Clique em: <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>http</A> :/ www.youtube.com /watch?v=pb8sZR-bI6o <BR><BR>Marinho Pinto não tem papas na língua- ainda bem! <BR>O resto do "povo" parece manietado por esta ditadura de mediocridade e de medíocres. <BR>Maria da Paz <BR>


mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
19

20



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro