O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 02 de Março de 2011

A gaguez deve ser vista não apenas como uma deficiência, mas sobretudo como um aviso.

 

Divisa-se, hoje em dia, na panóplia de meios de comunicação, uma tentação muito grande.

 

Há quem goste muito de falar, mesmo quando nada tem para dizer.

 

A gaguez pode ajudar, por estranho que pareça, a melhorar a qualidade da comunicação.

 

Ela pode ser até uma terapia para a comunicação.

 

A comunicação tem de ser vista como presença, como partilha, como oferta, como acolhimento. E não como mero ruído ou flatus vocis.

 

Mais do que curar a gaguez, importa curar (ou, pelo menos, não descurar) a comunicação.

 

Se pensarmos na estética e na ética, o panorama actual não é muito animador.

 

Não se comunica bem. Não se comunica o bem.

 

A gramática sofre agressões constantes. As pessoas acumulam insinuações contínuas.

 

Há falta de qualidade e défice de elevação.

 

Há abundância. Mas o ar está pesado. O clima comunicacional está longe de ser sadio.

 

As excepções, como sempre, confirmam a regra. E acabam por infirmar a tendência dominante.

publicado por Theosfera às 11:41

De António a 2 de Março de 2011 às 13:36
Garoto ainda, Demóstenes assistiu a um julgamento no qual um orador chamado Calístrato teve um desempenho brilhante e, com sua verve, mudou um veredicto que parecia selado. Demóstenes invejou a glória de Calístrato ao ver a multidão escoltá-lo e felicitá-lo, mas ficou ainda mais impressionado com o poder da palavra, que parecia capaz de levar tudo de vencida. Assim, alimentou a esperança de se tornar um grande orador - sonho que parecia impossível devido à sua gagueira. Conta-se que Demóstenes, à força de perseverança, ultrapassou o problema da gaguez declamando poemas enquanto corria na praia contra o vento e também, sendo esse o facto mais conhecido, forçando-se a falar com seixos na boca. Após treinamento que demandou enorme esforço, Demóstenes venceu a gagueira e se tornou o maior orador da Grécia.

Fonte:Wikipédia

De Theosfera a 2 de Março de 2011 às 19:08
Obrigado, bom Amigo. Essa história sempre me impressionou deveras. Obrigado por tudo. A gaguez, para mim, foi uma dificuldade que não impediu seguir as oportunidades que a vida (Deus) me foi oferecendo. Abraço amigo no Senhor.

De António a 2 de Março de 2011 às 20:01
Estimado Padre João António:

Tem o dom da palavra. E não tenho a menor dúvida de que os seus belíssimos e tocantes textos são a Palavra de Deus. Aliás, confesso-lhe que é raríssimo ver alguém,como o senhor naturalmente consegue, falar do Divino de uma forma tão próxima de Deus. A sua concepção de Deus é exactamente igual à minha: ambos acreditamos que Deus é Amor e Bondade. O resto que possam ser interpretações ou divergências teológicas são questões menores perante a Infinita Bondade de Deus.Todos temos as nossas características. Tomaram muitos que não gaguejam ter o dom da escrita que o meu bom Amigo possui...

De Theosfera a 2 de Março de 2011 às 21:39
Fico sem palavras, bom Amigo. Do fundo do coração, muito obrigado. Abraço amigo no Senhor Jesus.


mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
19

20



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro