O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2011

Há qualquer coisa que fomos perdendo na Europa e que estamos a reencontrar na África.

 

Fomos perdendo, aqui, o rumo da vida, o horizonte da esperança, a bússola do sentido.

 

Uma depressão endémica abateu-se sobre o ocidente.

 

Andamos agastados uns com os outros e manifestamo-nos uns contra os outros.

 

Só nos levantamos quando um direito é perdido, quando um hábito é alterado.

 

Tudo isto sabe mais a grito de desespero do que a eco de determinação.

 

De há um tempo para cá, todos os levantamentos têm resultado conhecido: é o que os poderes ditam.

 

Assim foi com as propinas. Assim foi com o porte pago. Assim foi com as portagens. Assim é com o iva. Assim é com os despedimentos.

 

Gritamos, mas sabemos, à partida, que ninguém nos ouve. O jogo está decidido antecipadamente.

 

É por isso que a África reaparece como o reencontro com aquilo que fomos perdendo.

 

Eis todo um povo que se levanta, que caminha, que não desiste.

 

Na Tunísia, já fez cair o presidente. No Egipto, é o presidente que treme.

 

Já houve mortes. Ainda haverá mais mártires.

 

Mas o povo não desiste. E continua a caminhar. Sem cálculo. Com energia e muita esperança.

 

 

publicado por Theosfera às 16:20

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro