O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Os Estados Unidos são um país e um laboratório de experiências.

 

Os seus rituais impressionam o mundo. Entre o espanto e a estupefacção, a humanidade converte-se numa espectadora atenta.

 

Obama foi a um Congresso que passou a ser hostil. A maioria é republicana e não democrata.

 

As visões são diferentes e os campos parecem demarcados.

 

Mas os deputados estavam mesclados em sinal de solidariedade para com uma congressista ferida num recente (e injustificável) tiroteio.

 

Michelle Obama convidou os cidadãos comuns para estarem presentes.

 

E, depois, o discurso.

 

Sabe-se que Obama é um bom tribuno. Muito melhor tribuno que actuante (ou actante, como dizem alguns semiólogos).

 

Mostrou-se determinado em vencer as dificuldades.

 

Tentou infundir ânimo a uma nação preocupada.

 

Procurou mostrar que a China não porá em causa o estatuto dos Estados Unidos.

 

Estamos diante de um paradoxo.

 

No fundo, Obama acabou por reconhecer à China o papel de potência mais que emergente.

 

A China não sai da cabeça dos americanos.

publicado por Theosfera às 11:30

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro