O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2011

A campanha eleitoral caminha para a recta final e não deixa grandes saudades.

 

Só que o desconforto não é de agora.

 

Ouvimos dizer que estas são as eleições mais desinteressantes, mas o certo é que há décadas escutáramos o mesmo.

 

Para quem pugna pela moderação e anela por esclarecimento, este tipo de campanha não ajuda.

 

Os ânimos ficam exaltados e o espírito não está nada esclarecido.

 

Eu sei que o ser humano é feito de emoção e este género de acção permite soltar a dimensão emotiva.

 

Também é verdade que, no mundo do espectáculo, é difícil resistir à tentação dos efeitos cénicos.

 

Só que o saldo é claramente negativo e o modelo está gasto.

 

Os candidatos cansam-se, os militantes aparecem, mas o povo não parece ser mobilizado.

 

Seria, pois, de repensar toda esta forma de fazer campanha. Que, além de pouco útil, é muito cara.

 

Quem quisesse candidatar-se apresentava-se numa cerimónia pública e dava a conhecer o seu programa.

 

Preocupar-se-ia mais em mostrar o acerto do que propõe do que em demonstrar o (suposto) desacerto dos restantes candidatos.

 

A comunicação social, incluindo a internet, difundiriam os projectos e o povo reflectiria.

 

Para quê esta coreografia pelo país todo com rios de dinheiro desperdiçado?

 

As campanhas eleitorais nada esclarecem e pouco mobilizam.

 

Há que fazer pedagogia de modo diferente. Com menos dinheiro, mais substância e melhores resultados. 

publicado por Theosfera às 16:19

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro