O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

Ninguém parece contente com a presente campanha eleitoral. Mas poucos aparentam perceber que ela não tem feito mais que amplificar o que se passa na sociedade.

 

Há nuvens de suspeita e tempestades de insinuação na política. Mas não está a nossa vida, toda ela, afogada em suspeitas e encharcada em insinuações?

 

A política assume-se, cada vez mais, como um retrato da sociedade.

 

 É por isso que, antes de nos lançarmos numa crítica (pertinente, mas não muito legítima), seria bom que nos dedicássemos a um exercício de auto-análise.

 

Marx, Nietzsche e Freud, os mestres da suspeita, viveram há muito. Mas nos tempos que correm continuam a ter bastantes discípulos: nós!

 

A mudança é, pois, necessária. É importante preconizá-la para fora. É, porém, fundamental que comecemos por dentro.

 

Como recomendava Gandhi: «Sê tu mesmo a mudança que queres para o mundo».

 

Não percamos de vista que o problema maior não está no retrato. Estará, talvez, na coisa retratada. Que somos nós.

publicado por Theosfera às 11:24

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro