O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 04 de Janeiro de 2011

Creio que foi Mário Cuomo (antigo governador de Nova Iorque) que disse que as campanhas eleitorais são feitas em verso e a governação em prosa.

 

Olhando para o cenário das eleições presidenciais, dir-se-ia, com pesar, que já nem as campanhas são feitas em verso.

 

É como se a pobreza, que afecta tantos portugueses, contaminasse o debate. Tão pobre tem sido, de facto, a discussão, inclusive (ou sobretudo) quando o tema é...a pobreza.

 

É certo que os tempos já não correm de feição para a agilidade do pensamento e para o manuseio da palavra.

 

Ainda assim, podia haver um esforço no sentido de requalificar a intervenção política. E nem sequer me reporto à retórica, coisa secundária. Refiro-me, antes, ao porte, à substância, às propostas.

 

Com todo o respeito, subsiste a impressão de que os candidatos estão muito cheios de si e bastante vazios de ideias.

 

Parece que a estratégia se resume à agressividade, à desmontagem do adversário e ao auto-elogio fácil. Parte-se do princípio de que é isso que rende.

 

Falta um debate mais pró-activo, com mais propostas e com mais elevação e serenidade.

 

Confesso que de Cavaco Silva esperava mais. De Manuel Alegre aguardava melhor. E de Fernando Nobre desejava diferente.

 

Regresso a Cuomo. Se já nem a campanha é feita em verso (apesar de haver um grande poeta), que prosa teremos no exercício do poder?

 

Que, ao menos, os dias que distam da eleição possam compensar, em substância, o que até agora se desperdiçou em pura propaganda.

 

Acima de tudo, que prevaleça a paz.

publicado por Theosfera às 16:27

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro