O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 04 de Janeiro de 2011

Numa altura em que se fala tanto de défice, importa não esquecer onde ele se encontra com maior nitidez.

 

O maior défice não é de dinheiro. É de humanidade.

 

As pessoas estão a morrer cada vez mais nos hospitais, dizem alguns estudos.

 

É claro que, nalguns casos, é inevitável. Mas será norma para todas as situações?

 

Morrer sozinho terá de ser a fatalidade que se segue a quem tem de viver sozinho?

 

A família torna-se, amiúde, um labirinto de sentimentos, onde o ódio acaba por decapitar o amor.

 

Ontem, houve mais um fratricídio. Um irmão matou o irmão por causa das partilhas.

 

Os bens tornaram-se mais importantes que o bem.

 

Precisamos de nos (re)educar para o sentido das prioridades.

 

As coisas são necessárias. Mas só a pessoa é sagrada.

publicado por Theosfera às 11:22

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro