O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

1. Eu sei que está exausto e apressado. A crise não dá tréguas e as preocupações não permitem qualquer descanso.

  

Sei que a sua vida não tem sido fácil nos últimos anos. E sei também que os problemas se têm avolumado nos últimos tempos.

 

Sei ainda que não fez todas as compras de Natal e o dinheiro já escasseia, mesmo contando com o subsídio extra.

 

Dá para ver que continua sensível ao encanto desta quadra, mas o seu pensamento já está voltado para as dificuldades que se avizinham.

 

Não quer refrear a alegria dos seus familiares, mas é impossível passar ao lado do ambiente que se vive. O seu rosto deixa antever um certo pesar. E, no fundo, o seu coração está um pouco só.

 

Peço-lhe, por isso, apenas dois ou três minutos de atenção.

 

 

2. Queria que pensasse em alguém que veio ter consigo. Que veio há muito tempo, mesmo antes de o caro leitor ter nascido.

 

Esse alguém nunca deixou de pensar em si, no seu bem-estar, na sua tranquilidade, na sua felicidade.

 

Apareceu no mundo na mais absoluta humildade e no mais comovente despojamento.

 

Não teve palácios, não ambicionou poder nem coleccionou glórias humanas.

 

Preocupou-se somente com os outros. Consigo também.

 

Foi alguém muito humano. Ensinou-nos a magna lição da bondade e deixou-nos, como imperativo indelével, o mandamento do amor.

 

Chamou-lhe mandamento novo certamente porque poucos o tinham experimentado.

 

Hoje continua a não ser velho porque muitos continuam a esquecer-se de o pôr em prática.

 

Esse alguém só fez bem. Mesmo assim, não foi poupado a incompreensões.

 

Também às pessoas boas acontecem coisas más. É triste. É injusto. Mas é verdade.

 

 

3. Ele veio para ficar. Ele foi de ontem, é de hoje e será de sempre.

 

Não perde actualidade. Está no seu coração, na nossa vida, no nosso mundo, no nosso tempo.

 

A sua imagem está esculpida em todo o ser humano. A sua cátedra é a humildade.

 

 A sua permanente lição é a de uma humanidade sem limites. Ele vem em cada Homem.

   

Ele mantém-se no nosso coração. Ele quer transformar o nosso destino pessoal e a nossa história colectiva.

 

 

4. Já sabe de quem se trata. É Ele mesmo. É de Jesus que lhe falo.

 

Mas o seu nome é também o seu nome.

 

Ele nasceu há dois mil anos. Numa noite muito fria. Numa noite muito bela.

 

Ele continua, porém, a renascer. Permanece na nossa história. E habita na nossa vida. Na sua também.

 

Na noite de sexta para sábado não deixe de pensar nisto.

 

Seja feliz. Procure fazer alguém feliz.

 

E tenha um feliz Natal!

 

publicado por Theosfera às 14:48

De Maria da Paz a 20 de Dezembro de 2010 às 15:14
Rev.mo Senhor Doutor:
Muito bem-haja por esta atitude missionária! Este texto vai de encontro às vicissitudes da vida e das diferentes personalidades moldadas por circunstâncias, tantas vezes tão imprevisíveis...
Só os Missionários, os verdadeiros Missionários têm esta capacidade de adaptação a todas e a cada pessoa, saindo de si para anunciar a vinda do Messias e a sua Mensagem!
Que Deus o abençoe, Senhor Doutor!
Afectuosamente,
Maria Irene

De Theosfera a 20 de Dezembro de 2010 às 16:22
Bondade sua. Muito obrigado por tudo. Abraço amigo no Senhor.


mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro