O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

Há qualquer coisa de problemático nas festas de Natal que, por esta altura, assomam já aos ecrãs da televisão.

 

Descontando as campanhas de solidariedade, sempre meritórias, há ali ingredientes que nada têm de natalícios.

 

Eis um sinal dos tempos. As pessoas falam dos outros, mas passam o tempo a exibir-se e, ainda por cima, com futilidades revestidas de grotesco que configuram um preocupante mau gosto.

 

Que saudades do tempo em que as pessoas que apareciam na comunicação social primavam pela compostura e por uma nobre sobriedade!

 

Há coisas que vamos perdendo naquilo que vamos conquistando. É preciso ter a coragem de ser diferente.

 

Respeitando a liberdade de cada um, é perturbador verificar a forma caricata como as pessoas se vestem ou se (des)penteiam, o modo como falam ou gritam e a maneira como se deslumbram consigo mesmos.

 

Até no mais ínfimo pormenor, a decadência nos visita. A construção assume, quase sempre, a feição de uma desconstrução.

 

Ontem à noite, vi uma cena que julgo ser reveladora. O que não fizeram alguns actores por terem obtido um prémio vulgar na sequência de um programa banalíssimo!

 

Razão tem, pois, Michael Cunninghan quando fala da dieta do belo que, hoje em dia, percorre grande parte da expressão artística.

 

Desvalorizamos a filosofia (o amor do saber) e estamos a defenestrar a filocalia (o amor da beleza).

 

As próprias músicas que vão passando nas ditas festas de Natal são de uma pobreza assustadora. Mas o que mais impressiona é a falta de humildade. É o tom de voz.

 

Digo isto com pena. Preocupa-me o presente e aflige-me o futuro. Deveras.

publicado por Theosfera às 10:32

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro