O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 27 de Novembro de 2010

Naquele momento, Sarkozy contra-atacou e acusou os jornalistas de serem pedófilos. Não tinha provas. Mas era a sua convicção.

 

É claro que tudo aquilo pretendia ser uma lição. É que os mesmos jornalistas questionavam-no sobre qualquer questão sensível, em que o presidente francês era acusado.

 

O que ele queria dizer, no fundo, é que estava inocente e que, quando se quer denegrir alguém, basta levantar uma suspeita.

 

De facto, é preciso ter muito cuidado e também confiança nas autoridades. A honra das pessoas é um direito fundamental. Até provas em contrário, não é concebível pô-lo em causa.

 

Meredith Maran acusou o pai de incesto. Adolescente, estava contaminada com os relatos de abuso sexual. Mais tarde, viria a reconhecer que tudo era falso.

 

Há que regenerar a nossa vida. Já há muitos problemas no mundo. O que não podemos é ficcionar um criminoso em cada esquina.

 

Para problemática, já basta a realidade. Não nos atormentemos com a ficção.

publicado por Theosfera às 11:20

De António a 27 de Novembro de 2010 às 17:16
Carlos Cruz também foi acusado de ter cometido graves crimes sexuais contra menor. E ,se é culpado, não tem que se queixar de mais ninguém, senão dele próprio. Ouvi, contudo, a entrevista dada pelo acusador Francisco Guerra à Judite de Sousa e logo aí fiquei convencido de que algo não batia certo: o facto de o acusador ter referido que desconhecia a pessoa pública que Carlos Cruz há muitos anos é. Isso não é aceitável mesmo que, à data da ocorrência dos supostos factos, ele tivesse 13 anos. Por outro lado, no blogue de defesa de Carlos Cruz, através dos vídeos disponíveis na Internet, pode-se ver claramente que era impossível ter havido no espaço das escadas da casa de Elvas a sala de espera que Francisco Guerra pretendeu localizar na respectiva reconstituição. Tanto mais que o Tribunal não considerou credível essa afirmação. As diversas testemunhas que foram ouvidas sobre esse ponto, incluindo o construtor dessa casa, afirmaram peremptoriamente que a casa nunca sofrera alterações estruturais desde a sua construção. Então,se assim é, das duas uma: ou Francisco Guerra está equivocado em relação à casa ou está a mentir. Além do mais, Carlos Cruz foi acusado de ter cometido os alegados abusos num sábado. Facto que o Tribunal também não considerou provado. Perante tamanha inconcludência de afirmações de Francisco Guerra, pergunto-me como é que foi possível Carlos Cruz ter sido condenado, quando os tribunais estão legalmente obrigados a inocentar em caso de dúvida ? Seja como for, alguma monstruosidade aconteceu: ou porque Carlos Cruz abusou sexualmente de menor e é culpado ou porque Francisco Guerra está a mentir e Carlos Cuz foi injustamente condenado...

De Theosfera a 27 de Novembro de 2010 às 18:24
Bom Amigo, muito pertinente este seu comentário. Não ouvi Frnacisco Guerra, nem li o livro dele, como não tenho consultado o site de Carlos Cruz. Mas o que aqui reflecte é deveras pertinente.
Obrigado, uma vez mais. Abraço amigo no Senhor.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro