O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 21 de Novembro de 2010

Insistir demasiado na denúncia do relativismo pode conduzir ao efeito contrário do pretendido.

 

É claro que as posições não são todas equivalentes, mas cabe ao discernimento fazer a respectiva triagem.

 

Este é um processo de busca incessante, nunca concluído.

 

Recordo que Xavier Zubiri falava de um duplo absoluto: Deus como absolutamente absoluto e o Homem como relativamente absoluto.

 

Neste mundo, tudo é relativo no sentido de que tudo está relacionado com tudo.

 

Quando se insiste no absoluto de uma posição, acaba por se menorizar quem defende a posição diferente. Ora, o ser humano pertence a uma grandeza inquestionável.

 

Condicionar uma pessoa pela posição que toma é inverter as coisas. As posições podem ser discutidas. A pessoa tem de ser preservada.

 

Quantas vítimas não existem em nome de posições absolutas?

 

Só que, muitas vezes, o absoluto também se mostra relativo, também mostra uma geometria variável, também muda de posição. O que era absoluto deixa de o ser.

 

Só mesmo Deus e a alma humana é que são intocáveis.

 

E, depois, parece-me cada vez mais que o relativismo não é o principal problema. É a intolerância, a rejeição, a falta de acolhimento do diferente, a ausência de misericórdia e de compaixão, a injustiça.

publicado por Theosfera às 19:04

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro