O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 18 de Novembro de 2010

Quem quiser seguir seriamente Jesus Cristo sabe que tem de contar com dois tipos de adversidade: com ataques e com seduções.

 

Aqueles são duros, mas são facilmente identificáveis. Estes tornam-se, aparentemente, aliciantes, mas, no fundo, são mais perigosos.

 

 Isto, aliás, vem desde sempre. O Apocalipse fala da mulher que se prepara para ser mãe e, logo a seguir, do dragão que se prepara para devorar o filho assim que nasça.

 

 S. Gregório Magno, nos célebres Comentários sobre o livro de Job, alude a isso mesmo. E recomenda: em relação aos ataques, «e preciso responder com o escudo da paciência; relativamente às seduções, urge responder com os dardos da verdade».

 

 Urge, pois, estar de atalaia à guisa da sentinela. Os ataques provêm de todo o lado: de fora e, não poucas vezes, de dentro.

 

 Quanto às seduções, elas têm o íman do veneno: atraem, mas matam. Muitas vezes, surgem, esplendorosas, sob a forma de elogios. Excelsa-se, por exemplo, a discrição (o que, em si, é bom porque o protagonismo é de Deus) como (pouco) subtil convite a não incomodar, a não perturbar.

 

 Temos, sem dúvida, de acolher, de escutar. Mas cabe-nos também falar. E o mesmo S. Gregório Magno tanto se penitenciava das vezes em que devia ficar calado e falou como das vezes em que devia falar e ficou falado.

 

 É claro que, em tudo isto, as fronteiras são ténues. Mas, deixando-nos conduzir por Cristo, tudo se conseguirá!

publicado por Theosfera às 10:26

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro