O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 17 de Novembro de 2010

Se há quem se diga ateu, Nietzsche terá levado o seu ateísmo a um grau supino de ferocidade nihilista.

 

Mas nem Nietzsche deixou de falar com Aquele que combatia. No fundo, Torga é que estava certo ao confessar: «Deus. O pesadelo dos meus dias. Tive sempre a coragem de O negar, mas nunca a força para O esquecer».

 

 Eis, então, a oração composta por Nietzsche:

 

 Antes de prosseguir o meu caminho e de lançar o meu olhar para a frente, elevo as minhas mãos na direcção de Quem fujo.

 Teu sou, embora, até ao presente, me tenha associado aos sacrílegos.

Teu sou, não obstante os laços que me puxam para o abismo.

Mesmo querendo fugir, sinto-me forçado a servir-Te.

Eu quero conhecer-Te, Desconhecido..

 Tu, que me penetras a alma e, qual turbilhão, invades a minha vida.

 Tu, o Incompreensível, mas meu semelhante, quero conhecer-Te, quero servir-Te.

Só a Ti!

publicado por Theosfera às 12:02

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro