O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 11 de Novembro de 2010

Não se pode pedir ao Estado que assegure todos os bens. Mas deve-se exigir ao Estado que não corte as oportunidades de aceder aos bens.

 

Sucede que este mínimo encontra-se longe de estar garantido.

 

O desemprego é a consequência de muitas restrições.

 

O desemprego acarreta a fome.

 

Não sou político, nem economista, mas enquanto houver pessoas com fome e se gastar dinheiro noutras actividades, há qualquer coisa de arrepiante que não pode ser tolerada.

 

Podem dizer que se trata de demagogia. Mas a experiência mostra que a acusação de demagogia é um pretexto para macular aquilo que muitos sentem e a alguns incomoda.

 

De resto, é o economista César das Neves que diz:   «Há várias décadas que, com custo de milhões, os sucessivos governos nos asseguraram que a sua política eliminaria a pobreza. Proclamaram o sucesso várias vezes. Agora, quando é mesmo preciso, tudo se desmorona. Parece que nos 80 mil milhões de euros do Orçamento de Estado não há dinheiro suficiente para alimentar crianças. Compreende-se, é preciso acorrer ao TGV e outras prioridades.

    

Os políticos estão presos de si mesmos. Felizmente ainda restam as escolas, paróquias, IPSS, serviços camarários, ou simplesmente os vizinhos e colegas. Esta é a grandeza de Portugal e enquanto existir a crise dos políticos não nos vence».

 

Não é preciso ser marxista para concordar com Marx neste ponto. De cada um segundo a sua capacidade, a cada um segundo as suas necessidades.

 

Se não pudermos fazer tudo ao mesmo tempo, comecemos pelo mais importante: por dar pão a quem tem fome.

publicado por Theosfera às 11:52

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro