O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 18 de Maio de 2010

Confesso que não fiquei surpreendido.

 

Havia precedentes e sobravam indicações.

 

Dava para perceber que, ontem à noite, o Presidente da República ia falar num sentido e decidir noutro sentido.

 

Já em 1984, Ramalho Eanes fez o mesmo a propósito da primeira lei do aborto. Criticou-a fortemente e promulgou-a.

 

Neste caso, o veto não iria impedir a aprovação da lei. Iria adiá-la.

 

Ainda assim, prevaleceria o princípio da convicção e não o mero cálculo.

 

Há muita gente desapontada. Duvido é que haja muita autoridade para criticar o presidente.

 

Dizer uma coisa e fazer o seu contrário não é o que mais se vê?

 

Façamos um exame de consciência. Todos.

 

 

publicado por Theosfera às 11:19

De António a 18 de Maio de 2010 às 12:42
Concordo inteiramente com o casamento entre homossexuais. Enquanto heterossexual não me sinto no direito de impor a minha caracterização sexual contra aqueles e aquelas que amam pessoas do mesmo sexo. Não deixa de ser curioso ver que, no domínio religioso, se enfatize tanto a importância da alma, como parte perene da pessoa humana, e depois se esgrima tanto quanto a questões adjectivas de identidade sexual. Os homossexuais não têm que viver num processo de guetização social e, doravante, vão poder assumir a integralidade da sua condição humana e sexual. Não vão ter que andar escondidos dos olhares reprovadores e preconceituosos de tantos que gostariam de os ostracizar eternamente. Depois, os valores da tolerância, tão supostamente caros a muitos crentes, ficam agora concretizados de forma consequentemente não hipócrita. Um avanço civilizacional sem dúvida que em nada colide com o casamento heterossexual. Os heterossexuais vão poder continuar a casar. Os monogâmicos a viverem a sua monogamia. Os hipócritas, que apregoam valores éticos superiores, mas que, ou dão " facadinhas" no santo matrimónio, ou cometem os mais variados abusos sexuais, vão poder continuar a viver no mundo da sua hipocrisia...

De Mª Amélia a 18 de Maio de 2010 às 16:29
Caro António
Pois eu não concordo que haja, sequer, quem pratique actos homossexuais...será que, por esse motivo sou rotulada de "hipócrita"? Veja, em que versículo da Bíblia estão enquadrados os homossexuais:
Ou não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos iludais: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os pedófilos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os beberrões, nem os caluniadores, nem os salteadores herdarão o Reino de Deus.(1Cor 6,9-10)

Quem o diz é S. Paulo! Então...quem é o Governo que tem autorização para legislar, a favor de qualquer pecado?
Considero que seria o mesmo que permitir a pedofilia e, até dar cobertura legal para o fazer... "sossegadinho"

S. Paulo adverte para as consequências desses procedimentos...considera-os fora da Vontade de Deus! Não diz qual deles é pior! É tão grave ser adúltero como efeminado ou pedófilo...!
Sou hipócrita, caro António...por pensar assim?

S. Paulo acrescenta: "Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo..."?
Nós cristãos...nós Igreja de Cristo...somos obrigados, perante, Deus, a dizer o que é errado! Não podemos ir nas modas! Temos que entender que a Verdade de Jesus Cristo é imutável!

De António a 19 de Maio de 2010 às 02:00
Estimada Maria Amélia:

Não fiz qualquer referência de hipocrisia aos meus irmãos e irmãs que não aceitam o casamento homossexual. Essa é uma posição tão legítima como a daqueles que reconhecem a justeza dessa pretensão. Mas todos nós sabemos que, sob a capa de uma estrita moralidade , muita gente comporta-se de forma totalmente inconsequente e contrária aos valores que apregoa.S. Paulo, para mim, não é autoridade máxima sobre a minha consciência.No seu tempo, S. Paulo proferiu considerações muito censuráveis sob a submissão das mulheres aos seus maridos e nem por isso vou seguir a sua orientação. Deus dotou-nos a todos da possibilidade de aferirmos em nossas consciências o Bem do Mal, a Justiça da Justiça.S. Paulo não comanda a minha consciência.E Deus fala nas consciências de todos nós.Perante o Deus em que acredito, não o Deus justiceiro e inclemente e tirânico em que alguns acreditam, que supostamente permitiria que os Seus próprios filhos ficassem a penar eternamente no Inferno, nessa concepção desviante de Deus eu não acredito. E que também emerge de muitos pontos da chamada Bíblia Sagrada. Chamar sagrado a essa concepção antropomorfizada de Deus é que é, na minha opinião, uma ofensa ao verdadeiro Deus que em todos nós habita...

De Mª Amélia a 20 de Maio de 2010 às 17:59
Caro António!
Eu não sei qual é a sua “referência máxima”: Depreendo que nem a Bíblia constitui para si uma referência, pois a sua consciência é que comanda as suas atitudes, acções, opções… Isto é o que eu entendo, relativamente àquilo que escreveu! Admito que possa estar a fazer “uma leitura errada”?!

Todos nós temos uma consciência! No entanto, tb sabemos que, infelizmente, muitas consciências são o que são! Convençamo-nos de que não adianta errar e depois tentar desculpar-se dizendo: “Agi em consciência, era o que a minha consciência me dizia”. Se a consciência estava errada, agiu errado; com mais ou menos culpa, mas errado…

Sempre, uma consciência covarde(não é, de todo, o seu caso) ou desonesta poderá, se assim o quiser, encontrar um conselheiro espiritual, ou um livro “muito “actualizado”, ou umas palestras muito “progressistas”, que lhe digam exactamente o que ele quer ouvir, não o que Deus quer que ouça. Não faltarão – para quem os desejar –, conselheiros “autorizados” que lhes dirão, falsamente, que não é pecado o adultério…a homossexualidade, e por aí adiante…

Para mim, a Vontade de Deus é o paradigma! Porque a minha consciência é susceptível de erro…até porque o ser humano é imperfeito!

Como cristã, tento educar a minha consciência, à Luz do Evangelho! Considero o Evangelho, como principal referência porque é a Palavra directa de Jesus Cristo!

No entanto o mesmo Jesus tb disse que não vinha revogar a Lei…por isso toda a Sagrada Escritura tem valor! Mandou, inclusive que se consultasse a Lei e os profetas!

Ora, por inerência, S. Paulo é uma “autoridade” porque o seu discurso se reporta aos Apóstolos escolhidos, chamados e enviados por Jesus Cristo!

Relativamente, ao que ele falou sobre submissão da mulher ao seu marido…repare que, seguidamente, ele diz: “Maridos, amai as vossas esposas como Cristo amou a Igreja…” Qual será a mulher que não gostaria de se “submeter” a um marido assim…?! S. Paulo, apenas aponta uma meta perfeita a atingir…Provavelmente ninguém consegue?!...

Resumindo: A homossexualidade está fora dos planos de Deus…não acredito que seja da vontade de Deus! É lógico que não nos cabe a nós julgar quem vive nestas práticas! Mas temos o dever moral de falar! Que é muitíssimo necessária a formação moral, tão descuidada nos nossos dias.

“O jejum de Luz”, em que se vive produz cegueira, mas o cego nem desconfia de que é cego. Por isso acha normais actos ou comportamentos que são aberrações, e acostuma-se a ceder e a admitir constantemente atitudes próprias ou alheias que, se tivesse luz, perceberia logo que são positivamente más.

Sinto que a humanidade retrocede…embora corra o risco de ser apelidada de preconceituosa! Um abraço, na Paz de Jesus!


De António a 21 de Maio de 2010 às 13:18
Estimada Maria Amélia:

O meu maior critério de referência é Deus. Mas Deus que me fala ao coração. Todos nós podemos ter uma relação íntima e directa com Deus, sem necessitarmos nem de Bíblia e muito menos de intermediários. A Humanidade existe muito antes de Cristo. Acha que, ao longo dos séculos que antecederam a vinda de Cristo, incontáveis seres humanos não acreditaram em Deus? Não actuaram em conformidade com o Bem? Acha que o verdadeiro Deus iria negar o Céu aos ateus que são pessoas bondosas? Pensa que a santidade é exclusiva da mundividência católica? Não reconheceram os budistas em Gautama Siddharta um homem também exemplar e santo? Não consegue vislumbrar em Dalai Lama a grandeza de uma enorme alma? Quer que acredite na falsa concepção de Deus, tal como emerge da satânica e desviante concepção do Deuterónimo e do Levítico? Acha possível que a Bíblia possa ser uma insana " salgalhada" dogmática, onde tanto cabe o Deus do AT, que mandava apedrejar mulheres adúlteras até à morte e o Deus, em Cristo revelado, que salvou de morte certa a mulher adúltera? Acha plausível que um Deus bondoso arrasasse Sodoma e Gomorra, e não poupasse ninguém, nem certamente as crianças inocentes que lá vivessem? Acredita nessa Bíblia integral? Eu não. Acredito na Bondade de Jesus de Nazaré e acredito no Deus que me fala ao coração. Sempre que esta relação mística directa com Deus estiver em conflito com o que venha em qualquer livro, incluindo a Bíblia, eu irei estar sempre do lado do Deus que me fala ao coração. Quanto à homossexualidade, não vou usar o argumento de que ela é natural entre os animais para justificar a humana. Mas pergunto: se toda a Obra da Criação provém de Deus, a homossexualidade entre os animais foi um " erro" de Deus? Porque será então um "erro" de Deus nos homens e mulheres que assim nasceram? Não vejo nada de pecaminoso na homossexualidade. A circunstância de ela não ser sexualmente procriadora não é argumento relevante. Então e os sexualmente castos também procriam? E vem algum mal ao mundo que haja diferenças comportamentais na espécie humana? Não há. Vem sim mal ao mundo se formos intolerantes com as diversas formas do Humano se manifestar. As igrejas deviam-se preocupar mais com as questões da alma do que com as do corpo. Cristo comia com as mãos e conhece a resposta que ele deu aos fariseus. Conhece também, estou certo, a frase de Cristo, igualmente dirigida contra os intolerantes fariseus, dizendo-lhes que eles colocavam pesos excessivos aos ombros dos outros, mas não faziam nada para os aliviar. Pois bem: o sentido de Humanidade pelos nossos irmãos e irmãs homossexuais, não passa pela “guetização” para que alguns os querem remeter, mas pela possibilidade de, no plano da lei civil, poderem constituir relações estáveis e legalmente protegidas, nas idênticas situações estabelecidas para o casamento civil heterossexual. E Deus está muito acima da antropomorfização feita à medida das nossas humanas e tão frágeis imagens...

De Mª Amélia a 21 de Maio de 2010 às 20:55
“Quer que acredite na falsa concepção de Deus, tal como emerge da satânica e desviante concepção do Deuterónimo e do Levítico? Acha possível que a Bíblia possa ser uma insana " salgalhada" dogmática…”

“Cristo comia com as mãos e conhece a resposta que ele deu aos fariseus. Conhece também, estou certo, a frase de Cristo, igualmente dirigida contra os intolerantes fariseus, dizendo-lhes que eles colocavam pesos excessivos aos ombros dos outros, mas não faziam nada para os aliviar.”

Meu querido irmão, decida-se:
Ou bem que aceita a Bíblia ou não aceita! Caso aceite…tem de aceitá-la, integralmente! Caso não aceite…não deve, a meu ver citá-la, apenas nos versículos que lhe convém! Desculpe…mas é esta a minha opinião!

A Bíblia é o que é! Quando não a entendo procuro quem me explique, sem a pretensão de querer entender completamente os desígnios de Deus! Os planos de Deus…não são seguramente, os nossos!

“Pensa que a santidade é exclusiva da mundividência católica? Não reconheceram os budistas em Gautama Siddharta um homem também exemplar e santo? Não consegue vislumbrar em Dalai Lama a grandeza de uma enorme alma?”

Não, caro António…eu não penso que a santidade é exclusiva de ninguém! Nunca tal coisa proferi! Se pensasse isso seria a maior pecadora à face da Terra!

Existem almas sublimes em todo o lado, Graças a Deus…isso é facto, tal como essas pessoas que cita! Concordo inteiramente!

Apenas quero deixar o meu testemunho e a razão da minha Esperança na Fé Católica…muito simples:

Respeitando todas as crenças religiosas…só conheço uma, na qual Deus deu a Sua Vida por mim, pobre pecadora!

Alguém dizia (não me lembro quem) que, para fundar uma religião é preciso morrer pregado numa cruz! Eu apenas conheço Um! Alguém conhece Outro?
O Meu Deus…o Jesus por quem me apaixonei, um dia…é “louco” por mim! Como é que poderia ter coragem de o trocar por outro? Ou fazer algo que não seja da Sua Santíssima Vontade?!...

Para mim…ser católica não é um peso…é uma busca incessante de encontrar formas de agradar a Jesus Cristo, a quem amo muito! É uma conversão permanente...uma luta que não termina, enquanto viver!
Como diz a máxima: “Quem corre por gosto não cansa”! É isto, em que acredito, caro António…e sinto-me muito feliz…por ter descoberto…esta Graça!

E porque amo a todos…gostaria que todos O encontrassem, Este Jesus que me fala…que nos fala através do Evangelho e da Sua Igreja!
Grande abraço no Senhor!


De Mª Amélia a 20 de Maio de 2010 às 20:12
Ainda, relativamente, ao meu comentário anterior...queria acrescentar, caro António, um pequeno texto que encontrei e que não deixa de ser bastante oportuno e esclarecedor:

«"Do homem para o animal.
Evangelho de S. Mateus 5, 17-18
“ (…)
Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas. Não vim revogá-los, mas levá-los à perfeição. Porque em verdade vos digo: Até que passem o céu e a terra, não passará um só jota ou um só ápice da Lei, sem que tudo se cumpra. (…)“
Esta ideia absurda de que em Portugal há católicos progressistas e até políticos católicos progressistas é, além de falsa, uma pura hipocrisia.
Na mais retrógrada, atrasada, conservadora, antiquada estrutura mental-social-cultural-laboral da Europa?
Deixem-me rir.
E na moral e nos costumes é que éramos modernos e desenvolvidos?
Que erro.
Que ilusão.
Que impotência.
Que esterilidade.
A lei de Deus pura e simplesmente é.
Não é antiquada ou progressista.
O aborto e o dito casamento homossexual não são progresso.
São crime e erro.
E um retrocesso ou atraso de milénios.
Do Homem para trás.
Para animal."»
(Publicada por Miguel Alvim - Advogado)

Quanto a mim, concordo!

De António a 21 de Maio de 2010 às 01:55
Estimada Maria Amélia:

Respeito mas não subscrevo o texto de Miguel Alvim quanto ao casamento homossexual. E quanto à Lei de Deus, não há, sobre esta temática, entendimentos uniformes relativamente à concepção de Deus. Cada um de nós acreditará ou não em Deus. E, para mim, como crente, dizer que Deus é Amor não consente uma visão justicialista do Divino. Há certamente outras visões, mas não a minha. Nunca aqui usei qualificativos como "progressista" ou " reaccionário", pois prefiro debater a essência das coisas, mas estou farto de ouvir vários católicos, incluindo o Papa Bento XVI, apelidarem depreciativamente de " relativistas" todos os crentes cristãos que não se revêem nos postulados dogmáticos da Igreja Católica. Todos somos filhos de Deus, incluindo os homossexuais. Há casos conhecidos de homossexuais que se suicidaram por se verem constrangidos ao peso da censura social. Considero desumano, do meu ponto de vista, e é só por mim que falo, negar-se aos homossexuais o direito de viverem existências felizes com as pessoas que amam. Quem, como Miguel Alvim, assim fala " ex cathedra", certamente nunca terá tido necessidade de se refugiar dos olhares censórios de terceiros ou de esconder a sua orientação sexual. Assim é muito fácil falar. O Deus em que acredito, porém, está muito longe da atitude preconceituosa e intolerante de Miguel Alvim. Quanto ao aborto, concordo inteiramente que o valor da vida está acima de todas as circunstâncias. Mas seria igualmente correcto que Miguel Alvim não tivesse omitido o dever ético de se pronunciar igualmente contra a pena de morte, que a ICAR continua a aceitar no seu catecismo vigente


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro