O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 10 de Abril de 2010

Mais um congresso do PSD. Há menos de um mês tinha havido um. E não falta quem fale de um outro antes do final do ano.

 

É a estreia de um novo líder. Nestas alturas, fala-se muito dos líderes anteriores.

 

Para um partido que, durante uma década, teve um único presidente, é espantoso que, na década e meia seguinte, já contabilize sete líderes.

 

A opinião de todos é evocada e a presença de cada um costuma ser assinalada.

 

Há uma excepção, porém. Trata-se do Dr. Fernando Nogueira.

 

Todos recordam a forma abnegada como secundou o Prof. Cavaco Silva.

 

Depreendia-se um grande despojamento e uma enorme discrição. Dir-se-ia que era o perfeito número dois: apagava-se para que o líder brilhasse.

 

Quando Cavaco se retirou, deixando o partido e o país supensos num longo tabu, foi com a maior naturalidade que Fernando Nogueira ascendeu à liderança.

 

Adivinha-se, contudo, que prevalecia mais o sacrifício do que a ambição. E, aqui e ali, pairou mesmo no ar um certo sabor a injustiça.

 

A lealdade de Nogueira para com Cavaco não terá sido plenamente correspondida. Quando Nogueira anuncia ter a certeza de qual seria o candidato presidencial, Cavaco Silva quase o desmente.

 

É claro que acabou por ser candidato. O que prevaleceu foi uma espécie de tirar o tapete a quem tinha sempre primado por uma enorme lealdade.

 

Há quem diga que as relações entre eles nunca mais foram as mesmas. Apesar de não ter ripostado, Nogueira terá ficado ferido.

 

Mas, cortês como sempre foi, optou por desaparecer da vida pública. Nunca mais foi visto. Remeteu-se a uma actividade privada e alojou-se num prolongado silêncio.

 

Rapidamente entrou na penumbra do olvido. Os jornais pouco falam dele. Será por respeito.

 

Não sei porquê, mas é com pena que se vê o retiro das pessoas mais decentes.

 

Compreende-se. Não é fácil a alguém com princípios disputar o jogo mediático, com todas as implicações que hoje tem.

 

Admiro a coragem de pessoas como Fernando Nogueira para fugir dos holofotes.

 

São, hoje por hoje, as pessoas que admiro mais.

publicado por Theosfera às 11:43

De Gildo a 13 de Abril de 2010 às 12:18
São homens como Dr. Fernando Nogueira, que nos dão esperança e força para acreditar que o nosso Mundo possa ainda ser salvo. Em Portugal e na política em especial, é cada vez mais difícil encontrar intervenientes com o carácter deste senhor e todos procuram o poder e riqueza no desempenho de funções que deveriam estar ao serviço da causa pública e de todos.
Para Cavaco, tudo vale para conseguir atingir um objectivo conforme nos tem habituado com episódios ainda recentes e acredito plenamente que existe traição de Cavaco a FN . A última vez que ouvi Fernando Nogueira a comentar sobre isto, disse: "não cabe na cabeça de ninguém que eu e o Prof. Cavaco Silva não tivéssemos falado sobre presidenciais" e mais não disse nunca mais.
Cavaco ficará de certeza na História dos Homens e Fernando Nogueira no esquecimento, mas a verdade será sempre eterna.
Aproveito para homenagear outro grande carácter elevado e simples, que faleceu ontem, o Dr. Nascimento Rodrigues que também foi um verdadeiro homem ao serviço de todos e contribuiu com alma na vida pública, sem interesses ou busca de poder.

De Theosfera a 13 de Abril de 2010 às 14:11
Obrigado. A minha sincera homenagem ao Dr. Nascimento Rodrigues, pessoa que não conheci pessoalmente, mas que sempre admirei.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro