O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 06 de Março de 2010

Fez , ontem, vinte anos e, desde há vinte anos, passou a ser o meu jornal.

 

Na altura, 5 de Março de 1990, estava em Lisboa e o jornal que costumava comprar (O Comércio do Porto), chegava um pouco tarde à capital.

 

Como também comprava o Expresso e uma vez que foi deste jornal que partiram os principais artífices do Público, passou a ser este o meu jornal.

 

Confesso que a fase em que o apreciei mais foi mesmo a primeira: no conteúdo e na forma. Era mesmo um jornal muito bonito, atraente, convidativo.

 

Compreendo (e admiro) a necessidade de não estagnar e o imperativo de mudar. Mas o que tem vindo a seguir não me consegue envolver tanto.

 

Já pensei várias vezes em mudar de jornal, embora também procure ler outros, mas, invariavelmente, mantenho-me fiel ao Público.

 

Admiro a independência, embora nem sempre me reveja nos ângulos de análise e nos posicionamentos.

 

Mas também é verdade que não temos de concordar para consumir. Às vezes, é díficil aceitar algumas coisas. Mas assumo que é impossível passar sem o Público.

 

Mesmo quando não há tempo para o ler ou mesmo quando o consulto na net, gosto de olhar para o lado e ver a edição de papel.

 

Um jornal acaba por ser um companheiro, mais que um informador.

 

Leio o Público da última para a primeira página.

 

Aprecio as opiniões de Campos e Cunha, José Pacheco Pereira e Vasco Pulido Valente, ainda que nem sempre me reveja no que escrevem. Mas escrevem muito bem e pensam ainda melhor.

 

Sinto a falta do olhar da semana de António Barreto, um homem moderado, capaz de leituras magistrais acerca do nosso quotidiano.

 

Nas edições que assinalam este vigésimo aniversário, permitia-me sublinhar a entrevista a Mário Soares e o ensaio de José Mattoso.

 

Este último é mesmo imperdível. É para ler e guardar. Por muitos anos.

 

 

 

publicado por Theosfera às 11:37

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro