O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 30 de Outubro de 2013

Foi quase ao mesmo tempo, mas as reacções não podiam ser mais diferentes.

Esteve em Portugal um grupo musical com um nome quase impronunciável e foi uma excitação enorme, no limite do descontrolo e da histeria.

Passou, entretanto, pelo nosso país um dos maiores pensadores contemporâneos e, que eu saiba, nada ou quase nada se disse.

E, no entanto, o que Jurgen Habermas disse em Lisboa devia fazer soar alguns alarmes. Primeiro, pela indiferença gerada. E, depois, pelo que deixou.

A democracia parece estar doente e nós não nos apercebemos. Estará mesmo à beira da implosão.

Tem dificuldade em gerar alternativas dentro de si. E, sem querer, está a desencadear tumultuosas alternativas fora de si.

Os cidadãos já não se limitam a flutuar entre partidos nem a abster-se dos partidos. Muitos sentem-se de costas para os partidos porque sentem que os partidos vivem de costas para eles.

Daí as ondas de contestação. Daí os populismos. Daí os extremismos. Há quem se instale fora do sistema. Isso é perigoso.

Esta onda ainda não chegou aqui. Mas, atenção, já não anda muito longe daqui!

publicado por Theosfera às 10:06

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro