O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 20 de Setembro de 2013

A perspectiva parece provocadora, mas não deixa de ser pertinente.

Karl Marx achava que «a propriedade privada tornou-nos tão limitados que um objecto só é nosso quando o possuímos».

De facto, já estamos tão formatados pela cultura da posse que não conseguimos pensar de outra maneira.

E, no entanto, nada é tão nosso como quando damos, como quando repartimos, como quando pertencemos.

Significa que até nós próprios nos alargamos. Até os outros fazem parte de nós.

Afinal, nunca temos tanto como quando damos tudo.

Como quando nos damos todos. Inteiramente. Até ao fim!

publicado por Theosfera às 10:04

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro