O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 05 de Agosto de 2013

6 de Agosto de 1978. Era Domingo.

Há 35 anos, tinha eu 13, acompanhava meus Pais numa visita pelos campos.

Liguei o pequeno transistor para ouvir uma partida de hóquei em patins.

De repente, a emissão é interrompida. Tinha morrido o Papa.

Paulo VI terminava a sua jornada terrena.

Foi um papa incompreendido, comedido nas atitudes. Mas tinha gestos surpreendentes e palavras profundas.

Finalizou a obra iniciada por João XXIII: o Concílio Vaticano II.

Transportou a Igreja para o nosso tempo.

Sofreu alguns vendavais. Mas ele nunca respondeu com qualquer tempestade.

Manteve sempre um porte sereno, acolhedor, sofrido. E sempre alentador!

publicado por Theosfera às 23:37

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro