O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 11 de Maio de 2015

Muitos se inquietam. Para quê ser decente?

Uma afamada apresentadora televisiva sentenciou que «quem tem ética passa fome».

Descontando o óbvio exagero, a experiência ensina que a decência não facilita muito o acesso ao êxito.

Mas antes a decência sem êxito do que o êxito sem decência.

Wladyslaw Bartoszeski, recentemente falecido, recomendava: «Vale a pena ser decente, mesmo que muitas vezes não sejamos recompensados; não vale a pena ser indecente, ainda que muitas vezes possamos ser recompensados».

Os dados estão lançados. A opção fica com cada um.

publicado por Theosfera às 09:35

Muitos dos mais pobres já não fazem greve.

Muitos dos mais pobres têm salários em atraso.

Muitos dos mais pobres já nem trabalham.

Muitos dos mais pobres estão em casa ou, quem sabe, na rua.

Muitos dos mais pobres permanecem no hospital mesmo quando têm alta.

Muitos dos mais pobres já nem sequer têm família.

Muitos dos mais pobres vivem muito, mas vivem mal e vivem sós.

O proletariado foi degenerando num contagiante «pobretariado».

Aos mais pobres dos pobres até a voz é negada.

As revistas «cor-de-rosa» não parecem ter lugar para eles. O «prime time» televisivo está entretido com novelas, futebol e concursos.

Só quando há uma tragédia, é que a atenção existe.

Quem estende a mão ao «pobretariado»?

publicado por Theosfera às 09:26

A oração não é para informar nem para influenciar Deus.

Deus não precisa de ser informado. E não pode ser influenciado. Nós é que podemos — e devemos — ser influenciados por Deus.

A oração não existe para transformar Deus, mas para nos transformar a nós.

Já Kierkegaard tinha notado que «o objectivo da oração não é influenciar Deus, mas mudar a natureza daquele que reza».

Como estamos necessitados de oração!

publicado por Theosfera às 09:11

À primeira vista, a comparação pode parecer um pouco mórbida. Mas é, sem dúvida, muito pertinente.

A Bíblia diz que «o amor é forte como a morte»(Ct 8, 6).

Como a morte? Sim, como a morte.

A morte é eficaz e é duradoura: quando vem, vem mesmo e vem para sempre.

Assim deve ser o amor: quando vem é para ficar, é para ficar para sempre.

Mesmo que os sentimentos passem, o amor há-de ficar.

O amor, como reconheceu S. Paulo, nunca termina.

O amor é como a morte: nunca morre (cf. 1Cor 13, 13). Dura (e faz durar) para sempre!

 

publicado por Theosfera às 07:11

Hoje, 11 de Maio, é dia de S. Mamerto, Sto. Hugo de Cluny, Sto. Odo, Sto. Odilo, S. Pedro, o Venerável, e Sto. Inácio Laconi.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro