O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2015

Há cerca de dois mil anos, houve Alguém que veio ao mundo «para dar testemunho da Verdade»(Jo 18, 37). E por causa da verdade foi morto.

É pena que continue a ser assim. É pena que muitos continuem a ser incompreendidos por causa da verdade.

Mas não é a verdade que está em contencioso com a amizade. São algumas «amizades» que estão em permanente contencioso com a verdade.

Só que, nesse caso, a verdade faz o papel de seleccionador. Talvez em certos «amigos» não houvesse amizade.

Já Aristóteles confessava que era amigo de Platão (e tinha motivos para o ser), mas era ainda mais amigo da verdade. E não consta que Platão tivesse ficado melindrado.

A verdade, cedo ou tarde, desvela o que está velado, descobre o que está encoberto.

É por isso que, em grego, verdade se diz «alethéia», ou seja, aquilo que tira o véu.

Também no campo da amizade, a verdade opera a inevitável triagem. A verdade distingue os amigos daqueles que pensávamos que o fossem.

Daí que a verdade seja dolorosa. Mas acaba por ser reconfortante.

A verdade conduz-nos até à realidade e resgata-nos dos acenos das ilusões.

publicado por Theosfera às 11:44

A liberdade pode ser usada para o mal? Infelizmente, pode.

E, em nome dessa mesma liberdade, não é possível fazer nada para evitar o mal? Mais do que possível, é necessário e urgente.

O presidente francês apercebeu-se do que muitos se têm apercebido: há quem use a net para difundir o ódio.

O problema é que, se os utilizadores difundem o ódio, os operadores parecem fazer pouco para o impedir.

Não se poderá ser mais diligente no combate ao ódio? Não sei como se faz. Mas sei que é preciso fazer e «quam primum».

Se a liberdade não for usada para o bem, não falta quem continue a usá-la para o mal.

Actuemos enquanto é tempo.

publicado por Theosfera às 10:31

Estranhos seres somos nós.

Uma morte aflige-nos, muitas mortes anestesiam-nos.

Uma morte desperta a nossa atenção, milhares de mortos ameaçam provocar a nossa indiferença.

Quando começou a guerra na Síria, parecíamos horrorizados. Agora que essa guerra já vai em 200 mil mortos, dá a impressão de que já estamos habituados. Até quando?

publicado por Theosfera às 10:16

Quando a ousadia vence o calculismo, a surpresa é constante.

De facto e como alertava Charles Dickens, «o homem nunca sabe do que é capaz até que o tenta».

Tentar fazer já é um grande passo, independentemente do que venha a conseguir.

Nunca desista de tentar!

publicado por Theosfera às 10:06

Hoje, 25 de Fevereiro, é dia de Sto. Avertano, S. Romeu, S. Sebastião de Aparício, Bem-Aventurado Luís Versiglia e Bem-Aventurado Calisto Caravário.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:11

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro