O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Nem sempre parece bem sucedido o «casamento» entre a verdade e a caridade.

Às vezes, parecem ter falta de paciência. Não raramente, parecem querer separar-se.

Há momentos em que a verdade sufoca a caridade. E há alturas em que a caridade ofusca a verdade.

Mas essa é apenas uma impressão.

Quem provoca a fricção não é a verdade e a caridade, que sempre se deram bem. Quem provoca a fricção é quem quer impor a verdade à custa da caridade e quem pretende impor a caridade sem a verdade.

Uma coisa é certa. Quando se perde uma, a outra dificilmente se encontra.

Foi por isso que o futuro Paulo VI defendeu, desde jovem, a necessidade de a Igreja despontar, ao mesmo tempo, como mestra da verdade e mãe da caridade.

Quanto mais mestra, melhor mãe. Quanto mais mãe, melhor mestra!

publicado por Theosfera às 11:55

Muitas vezes, quase sempre, é preciso vencer o medo da coragem.

Mas, algumas vezes, é necessário ter a coragem do medo.

Eu sei que é difícil explicar. Parece estultícia. 

Mas, em certos momentos, há que ter coragem para ter algum medo.

A precipitação pode estragar os melhores projectos. Por estranho que pareça, um certo medo pode ser o adorno da esperança e da mudança.

É preciso esperar pelo momento certo e saber ler os sinais dos tempos!

publicado por Theosfera às 11:39

Uma revista francesa resolveu discorrer sobre um tema novo: o «hipernarcisismo».

E sabem que figura escolheu para ilustrar o tema?

É um português!

publicado por Theosfera às 11:24

Confesso que, por mais de uma vez, me fiz a pergunta que um jornalista formula neste dia:

«Que fazer quando os portugueses que admiramos têm mais de 70 anos?»

Desde logo, importa perceber por que não admiramos pessoas com idade inferior.

E, depois, teremos de concluir que talvez imitemos quem não admiramos.

O problema, quanto aos que admiramos, é que nos limitamos a admirar...

publicado por Theosfera às 11:11

Se a sua esperança cair no chão, não procure apanhá-la.

Deixe-a andar pelo chão. Por vezes, a esperança parece desaparecida.

Mas ela não desaparece. Anda pelo chão das nossas vidas, a alimentar as raízes.

Um dia, ela regressará e, o que é sublime, não repousará só em si.

A esperança que cai em tantos ocasos há-de reerguer-se, viçosa, em fulgurantes manhãs!

publicado por Theosfera às 10:01

Carlos Drummond de Andrade notou que «o cofre do banco contém apenas dinheiro. Frustrar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza».

Com o dinheiro muito se faz. Mas é também com o dinheiro que muito se desfaz.

A maior riqueza está na mente, no coração, no espírito, na vida.

É essa riqueza que nos ajudará a sair do abismo para onde os donos do dinheiro nos atiraram!

publicado por Theosfera às 00:31

Hoje, 16 de Outubro, é dia de Sta. Hedwiges, Sta. Margarida Maria Alacoque, Sta. Josefa Vanini e S. Gerardo Majela.

Faz também 36 anos que foi eleito o Papa João Paulo II.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:24

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro