O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 27 de Setembro de 2014

Qual o futuro do livro?

Nunca se terão escrito tantos livros. Nunca, talvez, se tenham lido tantos livros.

E, no entanto, parece subsistir uma sensação estranha.

Os melhores livros não serão os mais lidos. O livro de leitura rápida é o mais consumido.

O livro que questiona e que convida a reflectir parece estar na penumbra.

George Steiner sublinha que «nunca os verdadeiros livros foram tão silenciosos». Ou tão silenciados, diria eu.

O sistema educativo ressente-se.

«A educação moderna cada vez mais se assemelha a uma amnésia institucionalizada. Deixa o espírito vazio do peso das referências vividas. Substitui até o saber de cor, que é também um saber do (cor)ação, pelo caleidoscópio transitório dos saberes efémeros. Reduz o tempo ao instante e vai instilando em nós uma amálgama de heterogeneidade e de preguiça»!

publicado por Theosfera às 21:58

Como conferir se uma palavra é verdadeira?

O risco não é pequeno.

Vergílio Ferreira achava que «uma verdade só verdade quando levada até às últimas consequências. Até lá, não é uma verdade, mas uma opinião».

Uma ressalva apenas. As últimas consequências têm de ser bem medidas. Não podem ser as últimas consequências da violência, mas da generosidade.

Ou seja, não é quem mais impõe uma posição que a torna verdadeira. Mas quem mais está disposto a dar a vida por ela!

publicado por Theosfera às 16:08

O mal já é mau quando é real. Não é menos mau quando é irreal, quando é inventado.

Mal é fazer o mal. Mas mal menos é atribuir o mal que não foi feito.

Hoje, a ficção tende a assumir o nome de suspeita.

Tão grave como inocentar um culpado é culpar um inocente.

Decididamente, a suspeita não pode ser norma e o ódio não pode ser critério.

Os factos (e não a boca) é que devem falar!

publicado por Theosfera às 15:01

Que é melhor: conseguir ou procurar?

À partida, não há dúvida. Se procuramos, é porque queremos conseguir. Pelo que conseguir é a realização maior e a felicidade suprema.

Mas a experiência nem sempre está em linha com o raciocínio mais linear.

Às vezes, muitas vezes, quando conseguimos, um vazio se instala: queremos procurar mais, queremos procurar diferente.

Daí que William Hazlitte tenha notado que «a melhor parte da nossa vida é a passa a aguardar o que aí vem».

Pode nem vir o que esperamos, mas esperar já conforta, apazigua, mobiliza. E desperta!

publicado por Theosfera às 14:55

Hoje não é só hoje. Hoje não começa hoje. Hoje não termina hoje.

Cada hoje é o amanhã de um ontem e o ontem de um amanhã.

É por isso que cada hoje é porto e parto, foz e nascente.

Tenha os pés no ontem e os olhos no amanhã. Mas viva intensamente o dia mais importante: hoje, cada hoje!

É em cada hoje que tudo se decide, que tudo germina, que tudo cai e se levanta.

É em cada hoje que tudo cresce e reaparece! 

publicado por Theosfera às 14:11

Os pobres têm de ser a prioridade para os cristãos, porque foram (porque são) a prioridade para Cristo.

S. Vicente de Paulo observou: «Cristo quis nascer pobre, escolheu pobres para seus discípulos, fez-Se servo dos pobres e de tal forma quis participar da condição deles, que declarou ser feito ou dito a Ele mesmo tudo quanto de bom ou de mau se fizesse ou dissesse aos pobres».

Por conseguinte, «Deus ama os pobres e também ama aqueles que os amam».

E concretiza: «Deve-se preferir o serviço dos pobres a tudo o mais e prestá-lo sem demora. Se na hora da oração for necessário dar remédios ou auxílio a algum pobre, ide tranquilos, oferecendo a Deus esta acção como se estivésseis em oração. Não vos perturbeis com angústia ou medo de estar pecando por causa de abandono da oração em favor do serviço dos pobres. Deus não é desprezado, se por causa de Deus dele nos afastarmos, quer dizer, interrompermos a obra de Deus, para realizá-la de outro modo. Portanto, ao abandonardes a oração, a fim de socorrer a algum pobre, isto mesmo vos lembrará que o serviço é prestado a Deus».

publicado por Theosfera às 13:47

Hoje é dia de S. Vicente de Paulo. Dedicou a sua vida a duas causas que se mantêm pertinentes: aos pobres e aos padres.

Não vou descrever a sua vida. Vou apenas recordar alguns pensamentos:

 

«O Filho de Deus quis ser pobre e ser representado pelos pobres».

 

«Os pobres são os vossos senhores; um dia serão os vossos juízes».

«Não percorreu muitas estradas; percorreu apenas uma: a do amor. E o amor é exclusivamente construtivo. Por isso, no seu programa, não se propõe polemizar, censurar, demolir. São caminhos já batidos e repetidos mil vezes, e sempre sem êxito».

Um apelo à calma, à serenidade: «Quem age com pressa atrasa-se sempre nas coisas de Deus».

publicado por Theosfera às 00:23

Hoje, 27 de Setembro (Dia Mundial do Turismo), é dia de S. Vicente de Paulo, Sto. Adulfo e S. João (mártires) e S. Dermot O´Hurghen e seus Companheiros Mártires.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro