O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 13 de Setembro de 2014

Somos responsáveis por nós e corresponsáveis pelos outros.

A nossa corresponsabilidade não pode, porém, substituir a responsabilidade dos outros.

A nossa corresponsabilidade pode esbarrar na vontade.

Temos de fazer tudo o que pudermos para ajudar. Mas se alguém não quiser ser ajudado, a nossa corresponsabalidade está cumprida.

Há uma coisa que não podemos: viver em vez dos outros.

Uma coisa é ajudar os outros a viver, outra coisa é viver em lugar dos outros.

Já dizia John Heywood: «Um homem pode muito bem levar um cavalo até à água, mas não pode obrigá-lo a bebê-la contra a sua vontade»!

publicado por Theosfera às 12:03

Somos donos do que calamos e escravos do que dizemos.

A palavra dada deve ser honrada.

Daí que Napoleão tenha avisado que «a melhor maneira de manter a sua palavra é não a dar».

Diria que não será a melhor, mas a mais segura.

É importante dar a palavra. E honrar a palavra dada!

publicado por Theosfera às 11:50

Padre Francisco, Padre Antonino, Padre Fernando, Padre Luís, Padre Duarte, Padre Antero, Padre Alberto, Padre Soares, Padre António, Padre Pedro, Padre João.

Tanto quanto a minha memória alcança, foram estes 11 os padres que nasceram na minha querida terra natal: São João de Fontoura.

Já só falta partir um para não restar nenhum!

É a vida. É a morte.

Mas tenho a certeza de que o divino convite vai voltar a passar por lá. E há-de voltar a haver um sim!

publicado por Theosfera às 11:42

Um dia, tudo acaba. Ou, melhor, um dia tudo se transforma.

 

E, nessa transformação, algo permanece, mesmo que tudo aparente mudar.

 

Afinal, começamos a morrer antes de morrer. Mas sabemos que havemos de viver mesmo depois da morte.

 

Um dia, vamos ter de nos separar. Custa sempre a separação. Mas temos de estar preparados, precavidos, serenos.

 

Parafraseando S. João Crisóstomo, diria que onde eu estiver, estarão também todos os meus amigos.

 

Ainda que estejamos em lugares distantes, «continuaremos sempre unidos».

 

Nada, nem a morte, «poderá separar-nos». A alma sobrevive: «A minha alma recordar-se-á sempre do meu povo».

 

Como recordava o mesmo santo, «a minha pátria e a minha família sois vós».

 

Em toda a parte nos reencontraremos. Vós «sois a minha luz, uma luz mais brilhante que a luz do dia».

 

A luz que a amizade acende nunca se apagará!
publicado por Theosfera às 03:36

Muito fraca é a violência, apesar da força que ela usa.

Benedetto Croce sinalizou o essencial: «A violência não é força, mas fraqueza, nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora».

Era bom que se pensasse mais na violência antes de agir com violência.

Era importante que se apurasse se algo de bom resultou da violência. É que nem a violência consegue vencer a violência.

Como notou S. João Crisóstomo, «a violência não se vence com a violência, mas com a mansidão».

No fundo, a mansidão é mais forte que a mais violenta força. E que a mais forte violência!

publicado por Theosfera às 00:35

Hoje, 13 de Setembro, é dia de S. João Crisóstomo, Sto. Amado e Sta. Maria de Jesús López de Rivas.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro