O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 01 de Junho de 2014

Era para ser uma despedida,

mas tornou-se a continuação de um encontro.

 

A Tua Ascensão, Senhor,

não é um adeus,

é uma presença eterna,

um encontro constante.

 

Tu não deixaste o Pai quando vieste nós.

Não nos deixas a nós quando voltas para o Pai.

 

Tu és sempre a presença de Deus junto dos homens

e a presença dos homens junto de Deus.

 

Tu não queres que fiquemos a olhar para o Céu.

O que Tu queres, Senhor, é que,

na Terra,

comecemos a construir o Céu.

 

«O Céu existe mesmo»!

O Céu existe já na Terra

quando fazemos o bem,

quando dizemos a verdade,

quando trabalhamos pela justiça,

quando espalhamos a paz.

 

«O Céu existe mesmo»!

O Céu és Tu, Senhor,

O Céu é a Tua e nossa Mãe.

E o Céu podemos ser nós,

se nos respeitarmos como pessoas

e se nos unirmos e amarmos como irmãos.

 

«O Céu existe mesmo»!

E tudo pode ser diferente

e tudo pode ser melhor.

Se agirmos em Teu nome,

um novo começo será sempre possível.

 

«O Céu existe mesmo»!

As trevas não hão-de vencer.

O mal não há-de triunfar.

O egoísmo não há-de persistir.

 

«O Céu existe mesmo!»

As crianças hão-de cantar.

Os velhinhos hão-de sorrir.

E as mãos serão dadas.

 

«O Céu existe mesmo!»

Nós temos a certeza

e não deixaremos de ter a esperança.

As nuvens podem cair.

Mas o sol há-de sempre brilhar.

O sol que é fonte de luz.

O sol que ilumina sempre.

O sol que és Tu,

JESUS!

publicado por Theosfera às 11:36

Não sou, por natureza, muito dado a comemorações. Muitas vezes, estas escondem e escamoteiam o que se passam fora delas. E que, habitualmente, não é muito salutar.

 

Neste dia mundial da criança, é importante que se pense no que urge fazer para com as crianças em cada dia.

 

É o futuro da sociedade que está em jogo.

 

Elas precisam de coisas. Mas necessitam, antes de mais, de presença, de acompanhamento, de afecto.

 

Dostoiésvky, ao achar que «o amor é mestre», apelava: «Amai sobretudo as crianças porque, como os anjos, estão isentas de pecado e vivem para a purificação dos nossos corações e como que são um guia para nós. Desgraçado de quem ofenda uma criança».

 

As crianças são mestres. Ensinam muito. Mostram, particularmente, que há muito de puro que não deveria desaparecer.

 

Jesus verberava quem escandalizasse uma criança.

 

Os maus exemplos ficam alojados no seu íntimo. As condutas exemplares ficarão também depositadas no seu coração.

 

As crianças merecem o melhor. Porque, como dizia o poeta, elas são o melhor. O melhor do mundo. O melhor de nós.

 

Só é verdadeiramente adulto quem nunca deixar de ser totalmente criança!

publicado por Theosfera às 09:53

A infância é linda. Mas a velhice não deixa de ser bela.

O fulcro da beleza está na profundidade.

John Donne achava até que «nenhuma beleza primaveril ou estival tem a graça que vi num rosto outonal».

No fundo e como dizia Aristófanes, «os velhos são duas vezes crianças»!

publicado por Theosfera às 08:54

No Parlamento Europeu, haverá 130 deputados contra a Europa.

Em 751 não é muito. Mas convenhamos que é bastante.

Como estamos a lidar com este sinal?

A Europa está a estimular a solidariedade entre todos ou apenas a almofadar os interesses de alguns?

Creio que Matteo Renzi pôs o dedo na ferida excruciante destes tempos: «Se a Europa me explica como é que se deve pescar um peixe-espada, mas não me diz nada sobre como salvar um imigrante que se afoga, alguma coisa está a correr mal».

Alguma dúvida?

publicado por Theosfera às 08:47

Ficou mais claro, nas eleições, aquilo que as pessoas não querem do que aquilo que as pessoas desejam.

Dois terços da população não querem nenhum partido.

E, se olharmos para alguns países, uma grande parte parte do eleitorado parece não querer sobretudo os partidos tradicionais.

Quanto mais novo, mais apelativo? Há sinais de saturação e sintomas de precipitação.

Acima de tudo, urge reflectir e inflectir. Até porque o novo depressa passa a antigo!

publicado por Theosfera às 08:34

Muito se tem falado, por estes dias, do direito ao esquecimento.

Acontece que aquilo que se quer esquecer é aquilo que mais é lembrado.

A melhor maneira de esquecer é nem sequer nos lembrarmos do que gostaríamos de esquecer.

Mas será possível?

O esquecimento da memória é selectivo. Está sempre a ser assediado pela memória do esquecimento!

publicado por Theosfera às 08:20

O sucesso não está no resultado.

O sucesso está (ou devia estar) no esforço.

O sucesso não está no que se consegue, mas no que se tenta.

Winston Churchill assinalou: «Sucesso não é final. Falhar não é fatal; é a coragem para continuar que conta».

Enfim, o sucesso não está na meta, mas no caminho.

publicado por Theosfera às 08:10

Hoje, 01 de Junho (Solenidade da Ascensão do Senhor e Dia Mundial das Comunicações Sociais), é dia de S. Justino e Sto. Aníbal Maria di Francia.

Um santo e abençoado pascal dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro