O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 23 de Janeiro de 2014
Faz hoje, 23 de Janeiro, nove anos que faleceu Mons. Ilídio Fernandes, um homem bom e um homem de bem.

Muito ele fez por Lamego e por toda esta zona. Tanto ajudou as pessoas.

Não o esqueçamos jamais!
publicado por Theosfera às 11:25

A alternativa a uma depressão será a euforia?

Pelo menos, é a curiosa via proposta por Eduardo Lourenço.

O sábio defende «uma revolução democrática e eufórica».

Para quê? «Para pôr fim à humilhação que nos diminui e nos torna indignados por nos terem imposto a tutela da ordem económica para pagar dívidas».

É preciso ter cautela, porém.

A euforia pode ser motivadora. Mas o importante é haver lucidez.

De uma revolução lúcida é que precisamos!

publicado por Theosfera às 10:54

A diplomacia conseguirá muito sem muito estrondo.

Conseguirá sobretudo evitar o pior. Mas terá condições de alcançar o melhor?

Karl Kraus entendia que «a diplomacia é um jogo de xadrez em que os povos levam xeque-mate».

Habitualmente, a diplomacia surge tarde, depois das armas terem feito muitos estragos. Mas são elas, as armas, que impedem a diplomacia de surgir mais cedo.

Quando teremos um mundo consciente de que é mundo? E para quando uma humanidade definitivamente humana?

publicado por Theosfera às 10:46

Quem espera ser absolutamente consensual acaba por não agradar nem sossegar.

Nunca se agrada a todos. E se o objectivo é agradar a todos, a consciência pessoal nunca tem sossego.

Aliás, não quem não quer ser criticado acaba por ser criticado...por ter medo da crítica.

Retenha-se, a propósito, este pedaço da sabedoria budista: «Censuram quem se mantém calado; censuram quem fala muito; censuram quem fala pouco, neste mundo ninguém está livre de censuras». Ninguém.

Até a pessoa mais impoluta corre o risco de ser censurada.

Aliás, quem menos merece a censura é quem mais censurado se torna.

O importante é prosseguir o caminho com quem quer caminhar!

publicado por Theosfera às 10:35

Há coisas que, teimosamente, nunca correm bem e, muitas vezes, acabam por terminar mal.

Há coisas que, quando não terminam em tragédia, revelam uma vasta decadência.

Era bom que serenamente se reflectisse para melhor se poder inflectir.

Não adianta esconder: há coisas que não são melhoráveis.

Tal como estão, as praxes não honram ninguém e continuarão a afligir muitos.

Propunha, pois, três anos sem praxes: para fazer luto pelas vítimas e para ponderar algo diferente.

Mais digno!

publicado por Theosfera às 07:05

S. João Esmoler nasceu em Chipre, foi funcionário do imperador, enviuvou e veio a ser patriarca de Alexandria por volta de 610. Espantou toda a gente com uma pergunta que fez à chegada: «Quantos são aqui os meus senhores?»

 

Como ninguém percebeu o alcance, ele descodificou: «Quero saber quantos pobres temos. Eles são os meus senhores, pois representam na terra Nosso Senhor Jesus Cristo (cf. Mt 25, 34-46). Dependerá deles que eu venha a entrar no Seu reino».

 

Fizeram o apuramento. Havia 7500 pobres, que ficaram a receber, todos os dias, uma boa esmola. É claro que as críticas não demoraram. Que havia alguns que não eram pobres, antes mandriões.

 

Réplica do bispo: «Se não fôsseis não curiosos, não o saberíeis. Curai-vos da vossa intriga e curiosidade e deixai-me em paz. Prefiro ser enganado dez vezes a violar, uma vez que seja, a lei do amor».

 

Diz a história que o cofre nunca se esvaziou. A quem lhe agradecia ele respondia: «Agradece-me só quando eu derramar o meu sangue por ti; até lá, agradeçamos, os dois juntos, a Nosso Senhor Jesus Cristo».

 

Ninguém tinha coragem de lhe negar nada. Só que alguns costumavam sair, furtivamente, da igreja antes do fim da Santa Missa.

 

Sucede que o bispo saía também e, de báculo na mão, juntava-se a eles cá fora e intimava-os: «Meus filhos, um pastor deve estar com o seu rebanho; por isso, venho ter convosco. Mas não posso ficar aqui e não me posso cortar em dois; que iria ser das minhas ovelhas que estão lá dentro?» Desde então, toda a gente esperava pelo fim da Santa Missa para sair.

Que nobre exemplo de pastor, de pai. Muito mais tarde, também Bossuet repetia: «Nossos senhores, os pobres».

 

O pobre é sempre uma surpreendente aparição de Deus.

publicado por Theosfera às 00:14

Hoje, 23 de Janeiro (6º dia do Oitavário de Oração pela Unidade dos Cristãos), é dia de Sto. Ildefonso, S. João Esmoler, Sta. Josefa Maria e Sto. Henrique Suzo.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
contador
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro