O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 12 de Janeiro de 2014

Senhor Deus,
que nos enviaste o Filho e o Espírito,
torna-nos solícitos ao Teu envio permanente e ao Teu convite constante.

Enche-nos coma Tua força
e preenche-nos sobretudo com o Teu amor.

A Maria, nossa Mãe,
espelho e exemplo da Igreja,
pedimos a coragem da persistência
e a serenidade da determinação.
Que Ela nos ensine a escutar
e a fazer tudo o que Seu Filho nos diz.

Que Nossa Senhora dos Remédios
nos ajude a conjugar, como ela,
o verbo «dar», o verbo «servir», o verbo «amar».

Senhor Deus,
Tu que és Pai, Tu que és Pão, Tu que és Paz,
dá-nos a intensidade dos começos,
faz de nós apóstolos da Tua presença.
Que esta missão nunca termine
E que nunca deixemos de escutar a Tua voz que nos manda partir,
sabendo que estás sempre ao nosso lado
e sentindo que nunca deixas de estar dentro de nós!
Obrigado, Senhor,
por, também hoje, Te apresentares no meio de nós,
por, também hoje, nos ajudares a vencer as nossas perturbações.

Obrigado, Senhor, pela paz que nos dás,
pela paz que és Tu,
pela paz que chega ao mundo inteiro.

publicado por Theosfera às 09:14

Qual será, afinal, o maior meio de comunicação?

Niklas Luthmann dizia, com ironia e com pertinência, que é o dinheiro.

De facto, o dinheiro circula e a grande velocidade.

Circula e faz circular. Alguns, movidos por uma enorme velocidade a que se chama ganância, conseguem apoderar-se de muito dinheiro.

É por isso que o dinheiro tanto provoca riqueza como pobreza!

publicado por Theosfera às 08:24

É importante, muito importante, termos a percepção dos nossos limites.

Franklin Roosevelt notou que «os únicos limites das nossas realizações de amanhã são as nossas dúvidas e hesitações de hoje».

Mas convenhamos que, às vezes, é bom que tenhamos essa percepção.

Perceber que somos limitados ajuda a evitar muitos problemas!

publicado por Theosfera às 08:11

«O Evangelho conta que o Senhor foi ao Jordão para ser baptizado e quis ser consagrado neste rio por sinais do Céu.

Não é sem razão que celebramos esta festa pouco depois do dia do Natal do Senhor, já que os dois acontecimentos se verificaram na mesma época, embora com diferença de anos; julgo que também ela deve chamar-se festa do Natal.

No dia do Natal, Cristo nasceu entre os homens; hoje renasce pelos sinais sagrados; naquele dia, nasceu da Virgem; hoje é gerado pelos sinais do Céu.

No Natal, ao nascer o Senhor segundo a natureza humana, Maria, Sua mãe, acaricia-O no Seu colo; agora, ao ser gerado entre os sinais celestes, Deus, Seu Pai, envolve-O com a Sua voz, dizendo: «Este é o meu filho amado, no qual Eu pus todo o meu agrado. Escutai-O» (Mt 17,5).

A Sua mãe trá-Lo nos braços com ternura, o Seu Pai presta-Lhe o testemunho de amor. A Mãe apresenta-o aos magos para que O adorem, o Pai apresenta-O às nações para que O reverenciem.

O Senhor Jesus foi, portanto, receber o baptismo e quis que o Seu santo corpo fosse lavado nas águas.

Talvez alguém diga: «Se Ele era santo, por que quis ser baptizado?»

Escuta: Cristo foi batizado, não para ser santificado pelas águas, mas para as santificar e para purificar as torrentes com o contacto do Seu corpo. A consagração de Cristo é sobretudo a consagração da água.

Assim, quando o Salvador é lavado, todas as águas ficam puras para o nosso baptismo; a fonte é purificada para que a graça baptismal seja concedida aos povos que virão depois.

Cristo precede-nos no baptismo para que os povos cristãos sigam confiantemente o Seu exemplo. Vejo aqui um significado misterioso: também a coluna de fogo ia na frente através do Mar Vermelho, para que os filhos de Israel a seguissem corajosamente no caminho; foi a primeira a atravessar as águas, a fim de abrir caminho aos que vinham atrás.

Este acontecimento, como diz o Apóstolo, era uma figura do baptismo. Foi certamente uma espécie de baptismo, no qual os homens eram cobertos pela nuvem e passavam através das ondas.

Tudo isso foi realizado pelo mesmo Cristo nosso Senhor, que agora, na coluna do Seu corpo, precede no baptismo os povos cristãos, como outrora, na coluna de fogo, precedeu através do mar os filhos de Israel.

Sim, é a mesma coluna que outrora iluminou os olhos dos caminhantes que hoje enche de luz os corações dos que crêem. Outrora abriu um caminho seguro entre as ondas, hoje firma no baptismo os passos da nossa fé».

 

(S. Máximo de Turim, século V)

publicado por Theosfera às 07:06

Hoje, 12 de Janeiro (Festa do Baptismo do Senhor e Fim do Tempo Litúrgico do Natal), é dia de S. Modesto, S. João de Ravena, S. Bento Biscop, Sto. António Maria Pucci e Sta. Margarida de Bourgeoys.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro